Porto Alegre, sexta-feira, 24 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 24 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

protestos

- Publicada em 11h24min, 14/11/2019. Atualizada em 17h37min, 14/11/2019.

Professores protestam contra pacote de Leite e anunciam greve a partir de segunda-feira

Professores estaduais estão em greve desde 18 de novembro

Professores estaduais estão em greve desde 18 de novembro


CPERS/DIVULGAÇÃO/JC
Em reação ao pacote de reforma das carreiras do funcionalismo anunciado na quarta-feira (13) pelo governador Eduardo Leite, professores protestaram na manhã desta quinta (14), em Porto Alegre, contra as medidas que afetam a categoria. Durante ato na Praça da Matriz, em frente ao Palácio Piratini, o magistério anunciou que entrará em greve a partir da próxima segunda-feira (18). 
Em reação ao pacote de reforma das carreiras do funcionalismo anunciado na quarta-feira (13) pelo governador Eduardo Leite, professores protestaram na manhã desta quinta (14), em Porto Alegre, contra as medidas que afetam a categoria. Durante ato na Praça da Matriz, em frente ao Palácio Piratini, o magistério anunciou que entrará em greve a partir da próxima segunda-feira (18). 
{'nm_midia_inter_thumb1':'', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5c6f03d777ac4', 'cd_midia':8634598, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/gif/2019/02/21/banner_whatsapp_280x50px_branco-8634598.gif', 'ds_midia': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'ds_midia_credi': 'Thiago Machado / Arte JC', 'ds_midia_titlo': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '280', 'cd_midia_h': '50', 'align': 'Center'}
Os professores também reivindicam o pagamento dos salários em dia. O Cpers/Sindicato, que representa a categoria, confirmou a paralisação em nota publicada nas redes sociais. "Além de aprofundar a política de atrasos e congelamento salariais, o governador quer acabar com o pouco que nos resta, atacando nossos direitos, nossas carreiras e nossos sonhos", diz o texto.
Durante a assembleia da categoria que decidiu pela greve, a praça da Matriz foi tomada por milhares de professores. De um carro de som, a presidente do sindicato, Helenir Aguiar Schürer, convocou os servidores para a paralisação, que respondiam com sinetas e bandeiras.  
Comentários CORRIGIR TEXTO