Porto Alegre, sexta-feira, 24 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 24 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Tecnologia

- Publicada em 14h15min, 06/11/2019. Atualizada em 14h15min, 06/11/2019.

Usuário poderá escolher se quer ser adicionado em grupo de WhatsApp

A função ainda não está disponível a todos os usuários, mas isso deve ocorrer nos próximos dias

A função ainda não está disponível a todos os usuários, mas isso deve ocorrer nos próximos dias


YASUYOSHI CHIBA/AFP/JC
Folhapress
O WhatsApp divulgou nesta quarta-feira (6) uma nova configuração de privacidade que permite ao usuário evitar que desconhecidos o adicionem em grupos de conversa.
O WhatsApp divulgou nesta quarta-feira (6) uma nova configuração de privacidade que permite ao usuário evitar que desconhecidos o adicionem em grupos de conversa.
O recurso era testado na Índia desde abril. Agora, começa a funcionar gradualmente em todos os países onde o aplicativo opera. Era uma demanda especial para o Brasil, onde a inclusão de integrantes em grupos sem permissão virou uma prática comum na época das eleições.
O controle também deve minimizar o efeito de conteúdos virais disseminados em grupos.
Para ativar o recurso, o usuário deve abrir o WhatsApp e fazer o seguinte caminho: configurações, conta, privacidade e grupos. Na última opção, decide quem tem permissão para adicioná-lo em grupos:todas as pessoas, apenas seus contatos ou apenas alguns de seus contatos.
Administradores de grupos que não puderem incluir uma pessoa que tenha ativado o controle poderão enviar um convite privado via conversa individual para o usuário, que escolhe se deseja entrar no grupo. Ele terá três dias para aceitar o convite antes que expire, segundo a empresa.
A função ainda não está disponível a todos os usuários, mas isso deve ocorrer nos próximos dias, de acordo com o WhatsApp. É preciso estar com o aplicativo atualizado na última versão.
A medida segue outras mudanças que tentam tornar o aplicativo, que pertence ao Facebook, um pouco mais privativo, como a redução do limite de encaminhamentos de mensagens, de vinte para cinco, e o selo que aparece quando uma mensagem é encaminhada a partir de outra conversa no mensageiro.
Comentários CORRIGIR TEXTO