Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 06 de novembro de 2019.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

investigação

Alterada em 06/11 às 09h20min

PF combate tráfico internacional de drogas no Aeroporto de Guarulhos

A Polícia Federal no Aeroporto Internacional de Guarulhos deflagra a Operação Guayo II na manhã desta quarta (6) para mirar uma quadrilha do tráfico internacional de drogas especializada em levar cocaína para o continente africano.
A Polícia Federal no Aeroporto Internacional de Guarulhos deflagra a Operação Guayo II na manhã desta quarta (6) para mirar uma quadrilha do tráfico internacional de drogas especializada em levar cocaína para o continente africano.
Cinquenta policiais federais cumprem nove mandados de prisão temporária e oito de busca e apreensão em Mogi das Cruzes, Suzano e São Paulo, no Estado de São Paulo, e em Salvador, na Bahia.
As informações são da Assessoria de Comunicação Social da Delegacia Especial no Aeroporto Internacional de Guarulhos. A operação foi deflagrada após a prisão e depoimento de mulas do tráfico, pessoas cooptadas para transportar o entorpecente.
As investigações duraram dois anos, e tiveram início a partir de um flagrante realizado no aeroporto. Neste período, foram feitas dez prisões, e cada um dos detidos carregava cerca de 13 kg de cocaína. Assim, o total apreendido no período foi de 130 kg do entorpecente. Os envolvidos responderão pelos crimes de tráfico internacional de drogas e organização criminosa.
O nome "Guayo II" faz referência a um rio que corta a cidade de Suzano, onde vive parte dos alvos dos mandados.
Estadão Conteúdo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia