Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 02 de outubro de 2019.
Dia Internacional do Notário.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Saúde

02/10/2019 - 15h07min. Alterada em 02/10 às 21h55min

Funcionários do Imesf aprovam greve geral nos postos de saúde

A paralisação foi definida para três dias e deve começar no dia 9 de outubro

A paralisação foi definida para três dias e deve começar no dia 9 de outubro


SINDISAÚDE-RS/DIVULGAÇÃO/JC
Fernanda Soprana
Funcionários do Instituto Municipal de Estratégia de Saúde da Família (Imesf) aprovaram nessa terça-feira (1) greve geral nos postos de saúde onde atuam de Porto Alegre. A decisão, tomada em assembleia, é efeito da extinção do Imesf determinado em julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF), que deve provocar a demissão de 1.840 trabalhadores.
Funcionários do Instituto Municipal de Estratégia de Saúde da Família (Imesf) aprovaram nessa terça-feira (1) greve geral nos postos de saúde onde atuam de Porto Alegre. A decisão, tomada em assembleia, é efeito da extinção do Imesf determinado em julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF), que deve provocar a demissão de 1.840 trabalhadores.
A paralisação foi definida para três dias e deve começar no dia 9 de outubro. Trabalhadores também decidiram participar do ato, nesta quinta-feira (3), em defesa da educação convocado por estudantes e professores de universidades, como a Ufrgs, e paralisação de duas horas em 7 de outubro, às 8h. 
Notícias sobre saúde são importantes para você?
Após a decisão do STF, julgando ação movida por sindicatos, funcionários fecharam diversos postos de saúde da capital gaúcha como forma de protesto. Apesar de já ter sido determinada a inconstitucionalidade do instituto, ainda não foi estabelecido aviso-prévio para as demissões ou data estimada para a extinção do CNPJ.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia