Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 23 de setembro de 2019.
Início da Primavera.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Saúde

23/09/2019 - 11h38min. Alterada em 23/09 às 14h26min

Trabalhadores do Imesf protestam contra demissões em Porto Alegre

Trabalhadores demitidos do Imesf e usuários do SUS protestam em frente à Câmara de Vereadores

Trabalhadores demitidos do Imesf e usuários do SUS protestam em frente à Câmara de Vereadores


LUIZA PRADO/JC
Fernanda Soprana
Atualizada às 12h40min.
Atualizada às 12h40min.
Profissionais que serão demitidos do Instituto Municipal de Estratégia de Saúde da Família (Imesf) que atende postos do Sistema Único de Saúde (SUS) protestam em frente à Câmara de Vereadores de Porto Alegre na manhã desta segunda-feira (23). São 1.840 funcionários ligados ao Imesf que serão dispensados com a extinção da instituição, cumprindo decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).  
Em torno de mil pessoas participam da manifestação em reação ao fim do Imesf e também com críticas que denunciam a privatização do SUS. Dentro do Legislativo, está ocorrendo uma audiência pública na Comissão de Saúde e Meio Ambiente (Cosman) para tratar do impacto da extinção, alternativas para o futuro do atendimento.
Devido ao protesto, o atendimento em muitos postos acabou sendo suspenso. Segundo a Secretaria Municipal da Saúde (SMS), 67 unidades de saúde estão fechadas e 18 têm atendimento restrito. 
Desde o começo da manhã, os manifestantes se movimentam na região. Depois do ato na Câmara, eles se dirigiram em passeata até o Centro Histórico, para se concentrar em frente ao Paço Municipal. A presidente da Câmara, Mônica Leal, solicitou uma reunião à tarde com os representantes dos trabalhadores e vereadores.
No Twitter, a EPTC informa que a manifestação provoca o fechamento da avenida Loureiro da Silva, em frente à Câmara, no sentido centro/bairro. Com isso, o trânsito e os ônibus estão sendo desviados pela avenida Edvaldo Pereira Paiva e Rótula das Cuias, pela orla do Guaíba.
Os trabalhadores devem avaliar em assembleia ainda esta semana se farão greve. O dia será definido nesta segunda. da A decisão foi adiada na plenária realizada na quinta-feira passada (19). 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia