Porto Alegre, domingo, 26 de julho de 2020.
Dia dos Avós.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 26 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Educação

- Publicada em 00h14min, 12/09/2019. Atualizada em 08h11min, 12/09/2019.

Direção do Sinepe-RS toma posse nesta quinta-feira

Bruno Eizerik assume o terceiro mandato como presidente

Bruno Eizerik assume o terceiro mandato como presidente


MARCO QUINTANA/JC
A nova diretoria do Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinepe-RS) toma posse nesta quinta-feira (12) e comandará a entidade até 2022. A cerimônia ocorrerá na sede do Sindicato, na avenida Praia de Belas, 1.212, no 12º andar, em Porto Alegre. Bruno Eizerik, que assume o seu terceiro mandato como presidente da entidade, tem pela frente uma missão importante para o setor, que é tentar garantir a manutenção das instituições de ensino filantrópicas.
A nova diretoria do Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinepe-RS) toma posse nesta quinta-feira (12) e comandará a entidade até 2022. A cerimônia ocorrerá na sede do Sindicato, na avenida Praia de Belas, 1.212, no 12º andar, em Porto Alegre. Bruno Eizerik, que assume o seu terceiro mandato como presidente da entidade, tem pela frente uma missão importante para o setor, que é tentar garantir a manutenção das instituições de ensino filantrópicas.
De acordo com Eizerik, a proposta apresentada pelo relator da reforma da Previdência, o senador Tasso Jereissati, pretende acabar com a imunidade tributária garantida ao setor filantrópico. Se aprovada, a medida vai prejudicar 100 mil alunos do Rio Grande do Sul que hoje estudam em escolas particulares com bolsas de estudo de 50% a 100%.
No Brasil, segundo o novo presidente do Sinepe-RS, são 725 mil bolsistas no Ensino Básico e Superior. Ele adiantou que na próxima terça-feira, dia 17, irá a Brasília para audiência com Tasso a fim de tentar reverter a situação e garantir a manutenção da filantropia no setor.
Eizerik diz que o Rio Grande do Sul é o estado que concentra o maior número de instituições de ensino filantrópicas, comparado ao número total de estabelecimentos de ensino gaúchos: ao todo, são 220 instituições de ensino filantrópicas.
Para o presidente do Sinepe-RS, a reforma da Previdência é essencial para o Brasil, mas deve ser feita de forma séria e responsável, de modo que não prejudique ainda mais a vida daqueles que já são penalizados pelas dificuldades sociais.
Segundo estudo do Fórum Nacional das Instituições Filantrópicas, a desoneração do setor das filantrópicas representaria somente 3% de toda a arrecadação previdenciária. O sindicato representa 500 instituições de ensino particular no Estado, entre escolas, instituições de educação superior e mantenedoras. O setor atende cerca de 690 mil alunos.
Eizerik concorreu, ao comando do Sindicato, via chapa única e recebeu 99,4% dos votos válidos, enviados pelas instituições de ensino privado do Estado entre os meses de agosto e setembro. A nova diretoria é composta por 20 integrantes, que representam a Educação Básica e o Ensino Superior, bem como instituições da capital e do interior. Eizerik está à frente da entidade desde 2013 juntamente com os vices Osvino Toillier e Oswaldo Dalpiaz.
"O nosso objetivo é constituir o Sindicato e as instituições por ele representadas em agentes de transformação da sociedade. Para isso, vamos manter os atuais projetos e investir em novos", diz. O dirigente salienta também que na área pedagógica o Sinepe-RS seguirá atuando no auxilio e orientação das escolas para a implementação da Base Nacional Comum Curricular do Ensino Fundamental e Médio.
Comentários CORRIGIR TEXTO