Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 12 de setembro de 2019.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Educação

Alterada em 12/09 às 00h14min

Direção do Sinepe-RS toma posse nesta quinta-feira

Bruno Eizerik assume o terceiro mandato como presidente do Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul

Bruno Eizerik assume o terceiro mandato como presidente do Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul


MARCO QUINTANA/JC
A nova diretoria do Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinepe-RS) toma posse nesta quinta-feira (12) e comandará a entidade até 2022. A cerimônia ocorrerá na sede do Sindicato, na avenida Praia de Belas, 1.212, no 12º andar, em Porto Alegre. Bruno Eizerik, que assume o seu terceiro mandato como presidente da entidade, tem pela frente uma missão importante para o setor, que é tentar garantir a manutenção das instituições de ensino filantrópicas.
A nova diretoria do Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinepe-RS) toma posse nesta quinta-feira (12) e comandará a entidade até 2022. A cerimônia ocorrerá na sede do Sindicato, na avenida Praia de Belas, 1.212, no 12º andar, em Porto Alegre. Bruno Eizerik, que assume o seu terceiro mandato como presidente da entidade, tem pela frente uma missão importante para o setor, que é tentar garantir a manutenção das instituições de ensino filantrópicas.
De acordo com Eizerik, a proposta apresentada pelo relator da reforma da Previdência, o senador Tasso Jereissati, pretende acabar com a imunidade tributária garantida ao setor filantrópico. Se aprovada, a medida vai prejudicar 100 mil alunos do Rio Grande do Sul que hoje estudam em escolas particulares com bolsas de estudo de 50% a 100%.
No Brasil, segundo o novo presidente do Sinepe-RS, são 725 mil bolsistas no Ensino Básico e Superior. Ele adiantou que na próxima terça-feira, dia 17, irá a Brasília para audiência com Tasso a fim de tentar reverter a situação e garantir a manutenção da filantropia no setor.
Eizerik diz que o Rio Grande do Sul é o estado que concentra o maior número de instituições de ensino filantrópicas, comparado ao número total de estabelecimentos de ensino gaúchos: ao todo, são 220 instituições de ensino filantrópicas.
Para o presidente do Sinepe-RS, a reforma da Previdência é essencial para o Brasil, mas deve ser feita de forma séria e responsável, de modo que não prejudique ainda mais a vida daqueles que já são penalizados pelas dificuldades sociais.
Segundo estudo do Fórum Nacional das Instituições Filantrópicas, a desoneração do setor das filantrópicas representaria somente 3% de toda a arrecadação previdenciária. O sindicato representa 500 instituições de ensino particular no Estado, entre escolas, instituições de educação superior e mantenedoras. O setor atende cerca de 690 mil alunos.
Eizerik concorreu, ao comando do Sindicato, via chapa única e recebeu 99,4% dos votos válidos, enviados pelas instituições de ensino privado do Estado entre os meses de agosto e setembro. A nova diretoria é composta por 20 integrantes, que representam a Educação Básica e o Ensino Superior, bem como instituições da capital e do interior. Eizerik está à frente da entidade desde 2013 juntamente com os vices Osvino Toillier e Oswaldo Dalpiaz.
"O nosso objetivo é constituir o Sindicato e as instituições por ele representadas em agentes de transformação da sociedade. Para isso, vamos manter os atuais projetos e investir em novos", diz. O dirigente salienta também que na área pedagógica o Sinepe-RS seguirá atuando no auxilio e orientação das escolas para a implementação da Base Nacional Comum Curricular do Ensino Fundamental e Médio.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia