Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 16 de julho de 2019.
Dia do Comerciante .

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Gente

15/07/2019 - 21h15min. Alterada em 16/07 às 18h59min

Estudante da Ufrgs que fazia intercâmbio na China é encontrado morto

Em 2018, Leonardo posou com a vice-reitora Jane Tutikian e o reitor Rui Oppermann após seleção

Em 2018, Leonardo posou com a vice-reitora Jane Tutikian e o reitor Rui Oppermann após seleção


GUSTAVO DIEHL/UFRGS/DIVULGAÇÃO/JC
Amanda Jansson Breitsameter
Atualizada às 18h55min de 16/7.
Atualizada às 18h55min de 16/7.
Um estudante de Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) foi encontrado morto enquanto fazia um intercâmbio na China. Leonardo Cláudio da Rosa, de 23 anos, estudava na Communication University of China (CUC), em Pequim.
As circunstâncias da morte ainda não foram esclarecidas. Em nota, o Itamaraty diz que a Embaixada do Brasil em Pequim foi informada pelas autoridades chinesas sobre o falecimento do aluno na cidade de Chongqing. As autoridades chinesas teriam descoberto a morte às 8h de 13 de julho.
Em nota, o Instituto de Letras (IL) da Ufrgs aponta que, por meio de informações provenientes de colegas de intercâmbio de Leonardo, ele teria sido vítima de crime, ainda que a direção do IL não possa confirmar. 
O IL ainda informa que a Secretaria de Relações Internacionais (Relinter) da Ufrgs e os órgãos superiores da universidade estão acompanhando a situação junto com a família deo estudante, o Ministério das Relações Exteriores e a Embaixada brasileira na China. As autoridades estão providenciando o translado do corpo do rapaz para o Brasil.
A direção do IL expressou "profunda consternação e tristeza" a respeito do caso. "Faremos o que estiver a nosso alcance para que as autoridades brasileiras busquem junto ao governo chinês o esclarecimento cabal dessa incompreensível tragédia", diz o texto.
Leonardo havia sido selecionado para uma bolsa de estudos na CUC por meio do Instituto Confúcio, da Ufrgs, e embarcou para o país asiático em agosto do ano passado para estudar língua e literatura chinesas.
No mês anterior à sua partida, ele e outros alunos selecionados pelo programa haviam sido recebidos pelo reitor Rui Oppermann e a vice-reitora Jane Tutikian antes da viagem. Na ocasião, Leonardo afirmou seu interesse acadêmico na área da psicolinguística, com foco em aquisição de línguas estrangeiras: "Quem sabe até ajudar a implantar a graduação em mandarim aqui", salientou, em texto divulgado pela Ufrgs à época.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia