Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 24 de junho de 2019.
Dia da Indústria Gráfica.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Lazer

Edição impressa de 24/06/2019. Alterada em 23/06 às 21h43min

Nova orla do Guaíba faz um ano com aprovação total

Mar de gente aproveitou feriado de Corpus Christi para curtir o dia ensolarado à beira do Guaíba

Mar de gente aproveitou feriado de Corpus Christi para curtir o dia ensolarado à beira do Guaíba


/FOTOS CLAITON DORNELLES /JC
Isabella Sander
Há um ano, Porto Alegre ganhava um novo cartão postal - em 29 de junho, ao lado da já muito conhecida Usina do Gasômetro, era inaugurado o trecho 1 da orla do Guaíba, hoje impossível de se imaginar diferente do que é. A aprovação da revitalização entre o Gasômetro e a Rótula das Cuias é consenso, prova disso é a inundação de pessoas no espaço em todos os fins de semana e feriados.
Há um ano, Porto Alegre ganhava um novo cartão postal - em 29 de junho, ao lado da já muito conhecida Usina do Gasômetro, era inaugurado o trecho 1 da orla do Guaíba, hoje impossível de se imaginar diferente do que é. A aprovação da revitalização entre o Gasômetro e a Rótula das Cuias é consenso, prova disso é a inundação de pessoas no espaço em todos os fins de semana e feriados.
Na última quinta-feira, feriado de Corpus Christi, um mar de gente aproveitou o dia ensolarado para passear pela orla. As arquibancadas viradas para o Guaíba estavam lotadas, assim como os gramados, onde centenas de visitantes se acomodaram em cadeiras de praia e cangas no chão. O dia foi coroado com a presença internacional de torcedores das seleções que jogariam logo mais na Copa América, muitos uruguaios e alguns japoneses.
Perto do Gasômetro, os degraus inferiores da arquibancada serviam de pista de skate para esportistas de todas as idades. Crianças e cachorros corriam de um lado para o outro do parque, juntos ou separados, rindo ou latindo. Bicicletas e patinetes acompanhavam seus donos ou locatários no passeio pelo trecho. Quem pôde, foi curtir o dia em um dos muitos barcos que participavam da paisagem no Guaíba.
A assistente administrativa Erica Teixeira, de 43 anos, mora em Novo Hamburgo e, por isso, não costuma frequentar muito a orla. Naquele feriado com sol, porém, resolveu aproveitar a folga para sentar e contemplar a paisagem. "Está muito melhor do que era antes, está excelente", opina. O ponto alto da revitalização, segundo Erica, foi a criação de muitos espaços para sentar e olhar a vista. Aguarda ansiosa, também, pela revitalização dos outros trechos, até o Parque Gigante, do Beira-Rio e do Cais Mauá.
Perdido em contemplação no mirante Olhos Atentos, o servidor municipal Luis Lara, de 60 anos, resumiu em uma palavra o que sentia quando olhava aquela paisagem: "Estupefato. Até liguei para o meu filho, que é piloto e mora em Palmas (TO), para falar sobre a revitalização da orla. Ele disse que vai vir e conhecer", comenta. Morador de Canoas, aquela era a segunda vez que visitava a orla revitalizada. Da outra vez, foi ao local à noite e, garante, não sentiu medo.
Como sugestão, Lara diz que a orla poderia ter mais opções de comércio. "Tentei tomar uma cerveja no restaurante flutuante e não pude, porque estava totalmente lotado. Tinha que ter mais uns três daquele, funcionando inclusive à noite", destaca.
A florianopolitana Bruna Ferreira, de 24 anos, estuda Animação e veio a Porto Alegre pela primeira vez para participar de um congresso da área. Como tinha a tarde livre, foi passar o tempo na orla, desenhando em um caderno. "Gostei bastante, é bem bom de passar o tempo por aqui", revela. Conforme Bruna, muitas pessoas lhe indicaram o passeio, inclusive os motoristas de Uber com quem conversou.
Tomando uma cerveja sentado na grama, o bancário paulista Francisco Fauendorf, de 39 anos, vive há dois meses na Capital e, desde então, vai frequentemente à orla, passear ou correr. "Gostei muito do conjunto da revitalização, tanto dos gramados e das arquibancadas, para quem quer sentar e olhar a paisagem, como da ciclovia e da pista, para quem quer caminhar", avalia. Outro ponto positivo destacado é a melhoria da iluminação, para que seja possível usar o espaço também à noite.
A aposentada Carmen Gonçalves da Cunha, de 65 anos, mora há 50 anos na rua Demétrio Ribeiro, perto da orla, e vê a revitalização como uma transformação em sua vida. "O prefeito está de parabéns. Todo dia eu venho aqui caminhar, comer nos restaurantes, conversar com minhas amigas", cita. A idosa comemora o fato de a revitalização ter valorizado os imóveis da região e a possibilidade de caminhar por ali, algo que, antes, tinha medo.
COMENTAR| CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia