Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 21 de junho de 2019.
Dia do Mídia. Início do Inverno.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR| CORRIGIR

Segurança Pública

Edição impressa de 21/06/2019. Alterada em 21/06 às 03h00min

Aluguel de prédios pode suprir vagas em presídios gaúchos

O governo do Estado apresentou, na quarta-feira, um plano de ações para a área prisional no Rio Grande do Sul. A falta de vagas em presídios fez com que detentos fossem acomodados em viaturas da Brigada Militar junto ao Palácio da Polícia.
O governo do Estado apresentou, na quarta-feira, um plano de ações para a área prisional no Rio Grande do Sul. A falta de vagas em presídios fez com que detentos fossem acomodados em viaturas da Brigada Militar junto ao Palácio da Polícia.
O plano, com medidas de curto, médio e longo prazos para o setor penitenciário, foi apresentado ao governador Eduardo Leite e ao vice, Ranolfo Vieira Júnior, pelo secretário da Administração Penitenciária, Cesar Faccioli, que detalhou soluções para permitir a transferência de pessoas que permanecem detidas em viaturas e delegacias. Entre as medidas está a possibilidade de aluguel de prédios na Região Metropolitana de Porto Alegre - no momento, três são avaliados - para a instalação de centros de triagem. Além disso, um prédio na Capital passa por reforma com essa finalidade - e terá capacidade para abrigar até 200 pessoas. Nos dois casos, o prazo para a utilização plena é de 30 a 60 dias.
Também como forma de diminuir o déficit de vagas no sistema prisional, a delegacia da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) na Região Metropolitana deve receber, até a próxima semana, 350 tornozeleiras eletrônicas, que estavam em uso em Santa Cruz do Sul, onde foram substituídas pelo modelo mais moderno.
O governador Eduardo Leite também validou a proposta de contratação de cerca de 20 profissionais (engenheiros e arquitetos) para reforçar a equipe da força-tarefa responsável por projetar e orçar reformas, ampliações e construções de novas casas prisionais.
 
COMENTAR| CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia