Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 15 de maio de 2019.
Dia do Assistente Social.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Trânsito

Edição impressa de 15/05/2019. Alterada em 14/05 às 21h51min

Novos parquímetros apresentam problemas meses após a instalação

Na rua Pinto Bandeira, aparelho estava fora de operação na tarde de ontem

Na rua Pinto Bandeira, aparelho estava fora de operação na tarde de ontem


MARCO QUINTANA/JC
Igor Natusch
Nas últimas semanas, aumentaram as reclamações sobre a situação dos parquímetros em algumas regiões de Porto Alegre. Em bairros como Menino Deus e Tristeza, equipamentos encontram-se desativados, e há relatos de dificuldade para inserção de moedas em algumas das máquinas. Em um giro pelo Centro, a equipe do Jornal do Comércio localizou parquímetros fora de operação nas ruas Alberto Bins e Pinto Bandeira. A nova Área Azul Digital, que inclui os aparelhos, entrou em operação em outubro do ano passado.
Em resposta à reportagem, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) afirma que a concessionária do serviço foi "oficiada a respeito dos problemas com os terminais e já providencia os reparos". Além de defeitos de funcionamento e eventuais atos de vandalismo, outro problema está nas chamadas áreas de sombra, que dificultam o recarregamento da bateria solar dos aparelhos.
O órgão reforça que o novo sistema permite o uso de plataformas digitais para o carregamento de créditos, não sendo necessário o uso exclusivo dos parquímetros. Assim, mesmo que o aparelho esteja desativado em determinado ponto coberto pela Área Azul, a inserção de créditos na conta virtual de cada usuário é suficiente para garantir o estacionamento.
Além das moedas, é possível fazer uso de cartões de débito e crédito, além de um aplicativo específico para celular. Da mesma forma, o monitoramento é feito digitalmente, pela placa dos veículos, não havendo mais necessidade dos tradicionais tíquetes afixados no painel dos carros estacionados.
Os números da prefeitura demonstram, porém, que o parquímetro é o modo de pagamento mais adotado pelos motoristas. Entre outubro de 2018 e abril deste ano, as moedas correspondem a 63,8% dos valores arrecadados, contra 17% via aplicativo e 16,4% nos postos de venda. Em abril, os aplicativos se tornaram, pela primeira vez, a segunda opção na preferência dos usuários, com 67.746 utilizações no mês - número, de qualquer modo, bem abaixo dos equipamentos de rua, que registraram 177.046 operações.
Hoje, segundo a EPTC, Porto Alegre conta com 4.189 vagas e 220 parquímetros, todos operando com o novo sistema. A rede cobre os bairros Azenha, Bom Fim, Centro Histórico, Floresta, Menino Deus, Moinhos de Vento e Tristeza, além do entorno do Fórum Central na Capital.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia