Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 29 de abril de 2019.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Clima

Edição impressa de 29/04/2019. Alterada em 29/04 às 03h00min

Chuvarada causa alagamento generalizado na Capital

O temporal registrado na noite de sexta-feira e durante toda a madrugada de sábado causou alagamento generalizado em Porto Alegre. Segundo a Defesa Civil da Capital, a chuva acumulada superou a média histórica do mês, de 86,1 milímetros, em cinco bairros da cidade - São João, Restinga, Protásio Alves, Cidade Baixa e Partenon. O mais atingido foi o São João, na Zona Norte, onde choveu 99,18 milímetros.
Devido ao alto acúmulo de água, 13 vias ficaram totalmente bloqueadas e 13 ficaram parcialmente impedidas. Também ocorreu o isolamento de uma rua em função de um asfalto danificado e 77 semáforos ficaram fora de operação. Foi feito o conserto em 59 pontos e o funcionamento dos semáforos já ocorre normalmente. O asfalto que cedeu ficava na estrada João de Oliveira Remião, bairro Lomba do Pinheiro, na altura da parada 13, e já foi recuperado.
Parte dos bloqueios de vias se deu por conta de queda de árvores. Foram registradas oito quedas e dois casos de vias bloqueadas por quedas de galhos. A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Smsurb) realizou a retirada dos vegetais no sábado. Equipes do Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU) também fizeram a limpeza e o recolhimento do lixo espalhado durante a chuva.
Apesar dos transtornos, Porto Alegre não chegou a registrar desabrigados ou desalojados em função do temporal. Em Viamão, contudo, a Defesa Civil gaúcha identificou quatro desalojados na manhã de ontem. Em São Leopoldo, o registro era de 240 pessoas afetadas, que sofreram algum dano menos nas suas residências. Não há, porém, decretos de situação de emergência em nenhum município gaúcho.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia