Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 23 de abril de 2019.
Dia Mundial do Livro. Dia Mundial do Escoteiro.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Educação

Edição impressa de 22/04/2019. Alterada em 22/04 às 03h00min

Investimento do 1º trimestre na Seduc é o pior em 12 anos

Entre janeiro e março deste ano, foram investidos R$ 3.492.361,63 no ensino público do RS

Entre janeiro e março deste ano, foram investidos R$ 3.492.361,63 no ensino público do RS


FREDY VIEIRA/arquivo/JC
Juliano Tatsch
Os investimentos - recursos aplicados em planejamento e execução de obras, aquisição de móveis e materiais - realizados pela Secretaria Estadual de Educação (Seduc) gaúcha no primeiro trimestre de 2019 são os menores para o período nos últimos 12 anos.
Os dados disponíveis no Portal da Transparência do governo do Estado (www.transparencia.rs.gov.br) apontam que os primeiros três meses de gestão do governador Eduardo Leite não foram muito animadores em relação ao ensino público estadual. Os números mostram que, entre janeiro e março deste ano, foram investidos R$ 3.492.361,63 no ensino público do Rio Grande do Sul. No mesmo período de 2018, foram aplicados R$ 5.917.431,89 - uma redução de 40,9% de um ano para outro.
Neste espaço de tempo - 2008 a 2019 -, o orçamento da Seduc teve um aumento de 145,8%. Enquanto em 2008 a pasta tinha um montante de R$ 3.728.177.864,32 para aplicar, neste ano, a quantia é de R$ 9.165.033.615,39.
Por ser o primeiro ano de Leite, o orçamento que o governo têm à disposição foi definido durante a gestão anterior, do então governador José Ivo Sartori (MDB). Ainda assim, por ser superior ao do ano anterior, a brusca redução de investimentos no ensino chama a atenção, principalmente no início do ano letivo, época de preparação das escolas para o início das aulas.
Desde 2007, primeiro ano de Yeda Crusius (PSDB), um governo em início de gestão não investia tão pouco na educação pública (ver tabela). Naquele ano, a secretaria sob o comando da governadora aplicou R$ 2.781.418,24 em investimentos.
No decorrer dos anos, de 2008 para cá, os valores foram variando, mas nunca ficaram abaixo da casa dos R$ 5 milhões. O ano de 2013, terceiro do governo de Tarso Genro (PT), foi o que teve maior quantia aplicada no primeiro trimestre: R$ 28.522.668,04.
A Seduc foi procurada pela reportagem para comentar os dados, mas não retornou os contatos feitos.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2019/04/21/206x137/1_fklmsfklmdsf-8697678.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5cbd011c77b41', 'cd_midia':8697678, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2019/04/21/fklmsfklmdsf-8697678.jpg', 'ds_midia': ' ', 'ds_midia_credi': ' ', 'ds_midia_titlo': ' ', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '365', 'align': 'Left'}
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Modesto Fortuna 23/04/2019 14h36min
Os valores foram corrigidos pela inflação do período? Corrigido pelo IGP-M, o valor de 2007 seria hoje R$ 5.716.538,49.