Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 10 de outubro de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

protestos

Alterada em 10/10 às 21h33min

Universitários de Porto Alegre protestam contra o candidato Jair Bolsonaro

DCE da Ufrgs convoca o ato Estudantes Contra Bolsonaro

DCE da Ufrgs convoca o ato Estudantes Contra Bolsonaro


MARIANA CARLESSO/JC
Luis Filipe Gunther
Centenas de jovens estudantes se reuniram debaixo do viaduto do Brooklyn, em Porto Alegre, para se manifestar contra o candidato a presidência Jair Bolsonaro. O ato reuniu 25 diretórios da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), Universidade Federal de Ciência e Saúde de Porto Alegre e outras universidades da Capital. De acordo com a organização do evento desta noite, 400 pessoas ocuparam o espaço em frente aos prédios da Ufrgs. O ato antecede ao protesto Ele Não que será feito na quinta-feira (11) e que os jovens devem montar um bloco para participar. 
Cada comitê teve cinco minutos para colocar seu posicionamento sobre o momento político brasileiro. Em sua maioria, defendiam a resistência contra Jair Bolsonaro e seu plano de governo. "Éramos 50, passamos a ser milhares e no final eramos milhões resistindo a opressão militar", discusou Elisabeth Dúrigo, professora de matemática da Ufrgs e membro do Conselho de Docentes da Associação Nacional de Docentes do Ensino Superior.
Sobre a importância do movimento estudantil para o fomento da democracia, Elisabeth comentou que é fundamental para a base de uma nação e que essas ideias devem ser levadas as pessoas de lugares remotos. "Em primeiro Lugar precisamos saber que a democracia ela só se garante pela participação popular". 
Estudante de Química e membro do conselho geral do Diretório Central de Estudantes da Ufrgs, Aline Gayer, explica que o movimento representa um ato contra o fascismo e a favor da democracia. "Esse momento foi um momento de organização para partir de amanhã já estarmos em bloco participando de panfletagens e dos atos em frente ao mercado público", afirma. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia