Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 17 de agosto de 2018.
Dia do Patrimônio Histórico.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

protestos

17/08/2018 - 09h56min. Alterada em 17/08 às 16h21min

Estudantes protestam em Porto Alegre contra restrição na meia-passagem de ônibus

Os manifestantes se concentraram em frente à Escola Parobé e seguiram em direção ao Paço Municipal

Os manifestantes se concentraram em frente à Escola Parobé e seguiram em direção ao Paço Municipal


SOFIA SCHUCK/ESPECIAL/JC
Bruna Oliveira e Sofia Schuck
Um grupo de estudantes saiu às ruas de Porto Alegre na manhã desta sexta-feira (17) para protestar contra as restrições ao pagamento da meia-passagem de ônibus na Capital e contra o sucateamento das escolas públicas. Um projeto de lei do prefeito Nelson Marchezan Júnior, que restringe o meio-passe a estudantes com renda familiar até três salários mínimos, está em tramitação na Câmara de Vereadores. Os manifestantes incluíram na pauta críticas ao parcelamento de salários dos professores da rede pública municipal e estadual.
Uma parte dos alunos saiu do Colégio Julio de Castilhos, na avenida João Pessoa, em caminhada em direção à Escola Técnica Parobé, na avenida Loureiro da Silva, para uma grande concentração dos manifestantes.
Devido à aglomeração em frente ao Parobé, o trânsito foi totalmente bloqueado na Loureiro da Silva no sentido centro-bairro. Após a concentração, o grupo saiu em caminhada até o Paço Municipal. O fim do protesto ocorreu ao lado do Largo Zumbi dos Palmares, no bairro Cidade Baixa.
Nycolly Muller, aluna da Escola Itália, diz que a principal reivindicação é a passagem estudantil, mas que há outras demandas. "É um descaso que convivemos em relação à educação. O ambiente escolar é precário, sem estrutura nenhuma e muitas vezes com falta de professores. Semana passada, por exemplo, ficamos sem gás e sem aulas", conta. 
Participam da manifestação entidades como União Metropolitana dos Estudantes Secundários de Porto Alegre (Umespa), União Gaúcha dos Estudantes (Uges), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), União Estadual dos Estudantes do Rio Grande do Sul (UEE) e diretórios acadêmicos. O ato ainda teve apoio de servidores da Capital ligados ao Sindicato do Municipários de Porto Alegre (Simpa), que estão em greve. A categoria denuncia o desmonte da educação.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Marcos 17/08/2018 11h07min
Não ficou claro qual a restrição no passe estudantil. O texto ficou um pouco superficial.