Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 01 de agosto de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Saúde

Edição impressa de 01/08/2018. Alterada em 01/08 às 13h59min

Escolas gaúchas não poderão vender balas e frituras

Cantinas escolares não poderão mais oferecer alimentos fritos aos estudantes

Cantinas escolares não poderão mais oferecer alimentos fritos aos estudantes


MATEUS BRUXEL/ARQUIVO/JC
O Estado sancionou, na segunda-feira, a Lei nº 15.2016/2018, que põe fim à comercialização em cantinas escolares de produtos que colaborem no desenvolvimento de doenças como obesidade, diabetes e hipertensão. O prazo para se adaptar à nova legislação é 30 de outubro.
Fica proibida a venda dentro de escolas de Educação Infantil e ensinos Fundamental e Médio de balas, pirulitos, chicletes, bolachas recheadas, refrigerantes, sucos artificiais, salgadinhos, frituras, pipoca industrializada e alimentos industrializados cujo percentual de calorias provenientes de gordura saturada ultrapasse 10% das totais, alimentos preparados com gordura vegetal hidrogenada e industrializados com alto teor de sódio. Além disso, as cantinas serão obrigadas a oferecer pelo menos duas variedades de frutas. A desobediência à norma pode gerar multa de até R$ 1,5 milhão e fechamento do local.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia