Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 26 de julho de 2018.
Dia dos Avós.

Jornal do Comércio

Geral

CORRIGIR

Educação

25/07/2018 - 23h01min. Alterada em 26/07 às 09h25min

Prefeitura desiste de fechar escolas com EJA

Centro Municipal de Educação dos Trabalhadores Paulo Freire conta com cerca de mil alunos na modalidade

Centro Municipal de Educação dos Trabalhadores Paulo Freire conta com cerca de mil alunos na modalidade


LUIZA PRADO/JC
No ano passado, a prefeitura de Porto Alegre causou polêmica ao anunciar que abriria matrícula para novos alunos na Educação de Jovens e Adultos (EJA) exclusivamente no Centro Municipal de Educação dos Trabalhadores (Cmet) Paulo Freire, no bairro Santana, mantendo apenas as turmas já existentes nas outras instituições. As matrículas na modalidade chegaram a ser suspensas por um tempo na Capital. Entretanto, após estudo, houve mudança nos planos, e o município desistiu da alteração.
Atualmente, a pessoa interessada em cursar EJA no município, para completar o Ensino Fundamental (o Médio pode ser concluído em escolas estaduais), pode fazer como antes: matricular-se diretamente na escola desejada, em qualquer período do ano. Há, no total, 34 instituições que oferecem a modalidade em Porto Alegre.
No último levantamento, em 30 de maio, havia 7.438 alunos jovens e adultos na cidade. A quantidade é superior aos 6.233 estudantes registrados na mesma época do ano passado, porque há alunos que ainda estão para se formar - amanhã, por exemplo, será celebrada a formatura de 120 alunos do Cmet, que, hoje, educa 1.056 pessoas.
A Secretaria Municipal de Educação (Smed), por meio de sua assessoria de imprensa, informou que, no ano passado, as matrículas foram fechadas por um período a fim de se averiguar como a oferta de EJA estava funcionando na cidade - se havia uma evasão alta, se seria possível evitar turmas com números irrisórios de alunos, entre outras questões. Concluído o estudo, as vagas foram reabertas sem as alterações inicialmente divulgadas. A pasta realiza estudos a respeito constantemente, mas não prevê novas mudanças.
Além das turmas abertas, a prefeitura mantém, desde 1989, o programa Compartilhar, que oportuniza aos servidores municipais a conclusão dos níveis Fundamental e Médio através de EJA nos próprios espaços dos departamentos onde os funcionários trabalham. A Ordem de Serviço nº 33/1993 assegura ao servidor o direito ao afastamento de suas atividades durante o horário normal de trabalho, em dois turnos semanais, para frequentar as aulas. Cerca de 300 alunos já se formaram através do programa, desde a sua criação. As atividades são coordenadas pela Smed, pelo Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae) e pelo Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU).
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia