Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 18 de julho de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Saúde

Alterada em 18/07 às 16h10min

Pacientes do SUS vão receber notificações de consulta pelo celular

De acordo com o Ministério, o histórico do paciente poderá ser acessado em todos os serviços informatizados do Sistema

De acordo com o Ministério, o histórico do paciente poderá ser acessado em todos os serviços informatizados do Sistema


JUSTIN SULLIVAN/AFP/JC
Agência Brasil
O Ministério da Saúde informou que uma nova versão do sistema e-SUS Atenção Básica será disponibilizada aos gestores do Sistema Único de Saúde (SUS). Com a atualização, os pacientes vão passar a receber notificações de consultas agendadas em unidades básicas de saúde pelo aplicativo da pasta.
A nova versão do sistema, segundo o Ministério, também permite registrar as vacinas aplicadas no prontuário eletrônico, permitindo armazenar todas as ações de saúde do usuário em um mesmo local. Desta forma, de acordo com a pasta, o histórico do paciente poderá ser acessado em todos os serviços do SUS que estejam informatizados. "Os dados são coletados de forma individualizada podendo ser identificados com o número do Cartão Nacional de Saúde (CNS) do cidadão por meio do e-SUS AB", informou o ministério. 
A orientação do Governo Federal é que municípios que utilizam o Prontuário Eletrônico do Cidadão ou a coleta de dados simplificada usem a versão mais recente do sistema, garantindo a qualidade na transmissão de dados coletados. A atualização está disponível no site do Departamento de Atenção Básica.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia