Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 09 de julho de 2018.
Feriado em São Paulo - Revolução Constitucionalista.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Saúde

Alterada em 09/07 às 12h44min

Rio de Janeiro confirma dois casos de sarampo

A proteção contra a doença é com as vacinas Tríplice Viral e Tetra Viral, disponíveis em postos de saúde

A proteção contra a doença é com as vacinas Tríplice Viral e Tetra Viral, disponíveis em postos de saúde


TOMAZ SILVA/AGÊNCIA BRASIL/JC
Agência Brasil
Dois pacientes do Rio de Janeiro tiveram diagnóstico de sarampo confirmados pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), laboratório de referência do Ministério da Saúde. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (9) pela Secretaria Estadual de Saúde.
Os dois casos confirmados são alunos da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) , onde, até o final da semana passada, havia 13 casos suspeitos de sarampo. Esses estudantes participaram de um encontro com jovens de vários estados brasileiros na cidade de Petrópolis, na região serrana fluminense.
De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, as autoridades sanitárias da cidade do Rio ralizaram uma vacinação de bloqueio no dia 3 de julho, na Faculdade de Direito, localizada no centro da capital fluminense.
A Secretaria de Saúde ressaltou que a proteção contra o sarampo faz parte das vacinas Tríplice Viral e Tetra Viral, disponíveis conforme calendário de vacinação do Ministério da Saúde para crianças entre 12 e 15 meses. A cobertura vacinal contra a doença para crianças de 1 ano no estado é 95% . Devem ser vacinadas as crianças de até um ano e adultos de até 49 anos que não tenham sido imunizados. Aqueles que tomaram as duas doses da vacina não precisam tomar nova dose.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia