Porto Alegre, quinta-feira, 27 de janeiro de 2022.
Porto Alegre,
quinta-feira, 27 de janeiro de 2022.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Eliminatória Sul-Americana

- Publicada em 27/01/2022 às 20h31min.

Em jogo marcado pelo VAR, Brasil fica no 1 a 1 com o Equador, em Quito

Partida foi marcada por quatro lances revistos por Roldán junto ao VAR

Partida foi marcada por quatro lances revistos por Roldán junto ao VAR


SANTIAGO ARCOS/AFP/JC
Deivison Ávila
Com o Brasil já classificado para a Copa do Catar, Tite está aproveitando os últimos jogos da Eliminatória Sul-Americana para observações, mas o duelo com o Equador, nesta quinta-feira (27), em Quito, não foi uma boa oportunidade para isso. Expulsões e algumas trocas obrigatórias não ajudaram o técnico brasileiro. Com a bola rolando, o Brasil saiu vencendo com um gol no início, mas acabou cedendo o empate na etapa final, ficando no 1 a 1. A partida acabou marcada por quatro erros do árbitro Wilmar Roldán, que foi salvo pelo VAR. A seleção volta a campo na próxima terça-feira (1º), no Mineirão, contra o Paraguai.
Com o Brasil já classificado para a Copa do Catar, Tite está aproveitando os últimos jogos da Eliminatória Sul-Americana para observações, mas o duelo com o Equador, nesta quinta-feira (27), em Quito, não foi uma boa oportunidade para isso. Expulsões e algumas trocas obrigatórias não ajudaram o técnico brasileiro. Com a bola rolando, o Brasil saiu vencendo com um gol no início, mas acabou cedendo o empate na etapa final, ficando no 1 a 1. A partida acabou marcada por quatro erros do árbitro Wilmar Roldán, que foi salvo pelo VAR. A seleção volta a campo na próxima terça-feira (1º), no Mineirão, contra o Paraguai.
O Brasil abriu o marcador logo aos cinco minutos: após bola rebatida pela defesa, Coutinho cruzou da esquerda, Matheus Cunha tentou o cabeceio, a bola raspou na zaga e sobrou para Casemiro empurrar para o fundo das redes. Desorientada, a seleção equatoriana teve o goleiro expulso aos 12. Matheus Cunha foi lançado e, na entrada da área, Domínguez saiu mal e atingiu o pescoço do atacante. O juiz foi até o Var, voltou e aplicou o cartão vermelho.
Só que sete minutos depois, Emerson Royal, que havia tomado um cartão amarelo no primeiro minuto de jogo, atingiu Estrada, recebeu o segundo amarelo e também foi expulso. E no jogo marcado por erros de Wilmar Roldán, aos 25, ele deu cartão para o goleiro Alisson, que ao fazer um corte atingiu o rosto de Enner Valencia. Após muita reclamação dos brasileiros, ele foi até o VAR rever o lance. Voltou, cancelou a expulsão e deu o amarelo. A partir deste lance, os times pararam de criar e o jogo caiu em qualidade.
A etapa final começou com o Equador em cima e o Brasil apostando nos contra-ataques. Casemiro quase ampliou aos quatro minutos. Em seguida, Roldán marcou pênalti para os donos da casa, mas o VAR entrou em ação e o juiz cancelou a marcação.
O Brasil quase ampliou com Gabriel Jesus e Alex Sandro, mas parou em duas defesas do goleiro Gallíndez. Em seguida, aos 29, os equatorianos chegaram ao gol de empate com Félix Torres, que subiu junto com Casemiro e cabeceou para o fundo das redes. Já nos acréscimos, Roldán marcou mais um pênalti do goleiro Alisson que foi expulso novamente. O colombiano voltou ao VAR pela quarta vez, desmarcou a penalidade, tirou o cartão do goleiro brasileiro e encerrou a partida.
Equador 1 Domínguez; Ángelo Preciado (Romario Caicedo), Félix Torres, Hincapié e Estupiñán; Gruezo (Ayrton Preciado), Moisés Caicedo (Jhegson Méndez), Franco (Galíndez) e Estrada (Carcelén); Enner Valencia e Plata. Técnico: Gustavo Alfaro.
Brasil 1 Alisson; Emerson Royal, Éder Militão, Thiago Silva e Alex Sandro; Casemiro, Fred, Philippe Coutinho (Daniel Alves); Raphinha (Antony), Matheus Cunha (Gabigol) e Vini Júnior (Gabriel Jesus). Técnico: Tite.
Árbitro: Wilmar Roldán (COL).
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO