Porto Alegre, quinta-feira, 13 de janeiro de 2022.
Porto Alegre,
quinta-feira, 13 de janeiro de 2022.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Seleção Brasileira

- Publicada em 13/01/2022 às 14h19min.

Sem Neymar, Tite convoca seleção brasileira para disputa das Eliminatórias

Tite não convocou o lateral-esquerdo Renan Lodi por ele não estar com o esquema vacinal completo

Tite não convocou o lateral-esquerdo Renan Lodi por ele não estar com o esquema vacinal completo


Lucas Figueiredo/CBF/Divulgação/JC
O técnico Tite convocou a seleção brasileira para os jogos contra Equador e Paraguai, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo do Qatar. A lista anunciada pelo treinador nesta quinta-feira (13) tem o retorno do experiente lateral direito Daniel Alves, agora jogador do Barcelona. Outro que trocou recentemente de clube e ganhou nova chance foi o meia Philippe Coutinho, emprestado pelo próprio Barcelona ao Aston Villa.
O técnico Tite convocou a seleção brasileira para os jogos contra Equador e Paraguai, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo do Qatar. A lista anunciada pelo treinador nesta quinta-feira (13) tem o retorno do experiente lateral direito Daniel Alves, agora jogador do Barcelona. Outro que trocou recentemente de clube e ganhou nova chance foi o meia Philippe Coutinho, emprestado pelo próprio Barcelona ao Aston Villa.
O ataque é recheado de jovens como Vinicius Junior, Rodrygo e Antony, ambos com 21 anos, e Raphinha, com 25. O camisa 10 Neymar está em recuperação de uma lesão no tornozelo esquerdo e deve voltar aos gramados só por volta da metade de fevereiro.
Como o futebol brasileiro ainda está em pré-temporada, o elenco selecionado é composto majoritariamente por atletas que atuam no futebol europeu. Weverton (Palmeiras), Gabriel Barbosa e Everton Ribeiro (Flamengo) são os únicos de times brasileiros chamados por Tite.
O treinador acrescentou, ainda, que o lateral-esquerdo Renan Lodi, do Atlético de Madrid, perdeu a oportunidade de ser convocado por não estar com o esquema vacinal completo - o médico da seleção, Jorge Pagura, afirmou que o atleta tomou apenas a primeira dose, o que limitaria sua entrada em países sul-americanos.
A seleção, já classificada para o Mundial e por enquanto invicta nas Eliminatórias, enfrentará o Equador em Quito, às 18h (de Brasília) do próximo dia 27. Já no dia 1º de fevereiro, a equipe brasileira vai encarar o Paraguai, no Mineirão, em Belo Horizonte, às 21h30min.
Em março, o Brasil disputará os últimos dois duelos do torneio, contra Chile e Bolívia. Depois disso, o caminho até o Catar deverá ter apenas jogos amistosos, três entre maio e junho, outros dois em setembro.
Há o receio de que a seleção não consiga marcar jogos contra as principais seleções mundo nas duas janelas de amistosos - já que as equipes da Europa estarão disputando a Liga das Nações nessas datas -, o que prejudicaria a preparação para o Mundial.
"Brasil, França, Inglaterra, Bélgica, Alemanha, Argentina, Itália e Espanha estão entre as postulantes [ao título]. Nenhuma delas eu vejo se destacando. É justamente por não jogarmos contra europeus que não dá para dizer se [a seleção brasileira] é favorita ou não, pois não há referência. Eu gostaria que jogássemos, mas não dá pelo calendário", afirmou Tite nesta quinta.
A Copa de 2022 ocorrerá excepcionalmente no final do ano para escapar das altas temperaturas do verão do país-sede - a estação mais quente do Qatar é registrada na metade do ano, quando tradicionalmente é se realiza o torneio.
A Copa terá início no dia 21 de novembro. A final está marcada para 18 de dezembro.

Os jogadores convocados por Tite

Goleiros:
Alisson, Ederson e Weverton
Laterais:
Emerson, Daniel Alves, Alex Sandro e Alex Telles
Zagueiros:
Militão, Gabriel Magalhães, Marquinhos e Thiago Silva
Meias:
Bruno Guimarães, Casemiro, Fabinho, Fred, Gerson, Everton Ribeiro, Paquetá e Phillipe Coutinho
Atacantes:
Antony, Gabriel Barbosa, Gabriel Jesus, Matheus Cunha, Raphinha, Rodrygo e Vinicius Junior
/Folhapress
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO