Porto Alegre, sexta-feira, 10 de setembro de 2021.
Porto Alegre,
sexta-feira, 10 de setembro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Tênis

- Publicada em 16h19min, 10/09/2021.

Bruno Soares sofre virada e fica com o vice do US Open

Soares e Murray fizeram uma campanha surpreendente no Grand Slam norte-americano

Soares e Murray fizeram uma campanha surpreendente no Grand Slam norte-americano


AL BELLO/AFP/JC
Campeão no ano passado, desta vez o tenista brasileiro Bruno Soares, 39 anos, ficou com o vice do torneio de duplas masculinas do US Open. Nesta sexta-feira (10), a dupla dele e do britânico Jamie Murray foi superada em Nova York pela parceria do também britânico Joe Salisbury com o norte-americano Rajeev Ram, em uma virada por 2 sets a 1 (3/6, 6/2 e 6/2).
Campeão no ano passado, desta vez o tenista brasileiro Bruno Soares, 39 anos, ficou com o vice do torneio de duplas masculinas do US Open. Nesta sexta-feira (10), a dupla dele e do britânico Jamie Murray foi superada em Nova York pela parceria do também britânico Joe Salisbury com o norte-americano Rajeev Ram, em uma virada por 2 sets a 1 (3/6, 6/2 e 6/2).
O mineiro, também vice nos EUA em 2013 com o austríaco Alexander Peya, buscava o seu sétimo título em um evento do Grand Slam. Ele é com folga o segundo brasileiro mais vencedor, atrás apenas de Maria Esther Bueno e seus 19 troféus. Para Soares, são três em duplas masculinas e três em duplas mistas.
No ano passado, ele venceu o US Open com o croata Mate Pavic. A parceria, porém, acabou de forma abrupta no encerramento da temporada, por vontade do europeu, após essa conquista seguida de um vice em Roland Garros.
Soares, então, voltou a atuar com Murray, com quem havia vencido o US Open e o Australian Open em 2016. Os dois atuaram juntos daquela vez até 2019. Nas duplas mistas, ele já levou troféus nos EUA, com Ekaterina Makarova (2012) e Sania Mirza (2014), além de um Australian Open junto de Elena Vesnina, em 2016.
A surpreendente campanha do vice-campeonato veio logo no primeiro torneio após o brasileiro ter passado por um grande susto e uma grande decepção. Em julho, quando já estava no Japão para os Jogos de Tóquio, ele teve apendicite e foi submetido a uma cirurgia de emergência. A operação tirou qualquer possibilidade de participar da competição ao lado de Marcelo Melo e o fez praticamente dar adeus ao sonho de uma medalha olímpica na carreira.
Após retornar ao Brasil e concluir sua recuperação, o tenista só voltaria a treinar quase um mês depois da cirurgia, ainda com dores. Na chegada aos EUA, ele relatou sentir falta de ritmo de jogo para defender o título de 2020.
Mas as coisas incrivelmente começaram a dar certo para Soares e Murray, que ainda não haviam obtido muitos resultados consistentes desde a retomada da parceria. Nas quartas do US Open, a dupla enterrou de vez a desconfiança ao bater os cabeças de chave número 2, Marcel Granollers e Horacio Zeballos.
Além do brilho nos jogos, Soares também aproveitou a oportunidade de curtir o torneio ao lado do filho, Noah. O menino de seis anos roubou a cena com suas entradas em quadra para comemorar ao lado do pai e se tornou seu "amuleto".
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário