Porto Alegre, terça-feira, 08 de junho de 2021.
Dia do Citricultor.
Porto Alegre,
terça-feira, 08 de junho de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Eliminatória Sul-Americana

- Publicada em 23h28min, 08/06/2021.

Brasil bate o Paraguai, em Assunção, e dispara na liderança das Eliminatórias

Neymar comemora com os companheiros o primeiro gol da vitória brasileira sobre os paraguaios

Neymar comemora com os companheiros o primeiro gol da vitória brasileira sobre os paraguaios


NORBERTO DUARTE/AFP/JC
Deivison Ávila
O Brasil conseguiu quebrar o tabu de não vencer o Paraguai, em Assunção, desde 1985. Nesta terça-feira (8), a seleção comandada por Tite foi até o estádio Defensores del Chaco, bateu os paraguaios por 2 a 0. O triunfo manteve os 100% de aproveitamento e a liderança isolada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022 com 18 pontos. Já são seis vitórias em seis jogos. Na entrevista pós-jogo, o zagueiro Marquinhos confirmou a participação da seleção na Copa América, que será disputada no Brasil. 
O Brasil conseguiu quebrar o tabu de não vencer o Paraguai, em Assunção, desde 1985. Nesta terça-feira (8), a seleção comandada por Tite foi até o estádio Defensores del Chaco, bateu os paraguaios por 2 a 0. O triunfo manteve os 100% de aproveitamento e a liderança isolada das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022 com 18 pontos. Já são seis vitórias em seis jogos. Na entrevista pós-jogo, o zagueiro Marquinhos confirmou a participação da seleção na Copa América, que será disputada no Brasil. 
Tite mandou o time a campo com duas trocas em relação à equipe que venceu o Equador na rodada anterior: Firmino no lugar de Lucas Paquetá e Gabriel Jesus na vaga de Gabigol. E foi dos pés de Jesus que saiu a assistência para o gol brasileiro, logo aos três minutos: ele avançou pela lateral direita e cruzou. Neymar aproveitou a sobra e tocou na saída de Antony Silva para abrir o placar em Assunção.
O Paraguai pouco entrou na área de Ederson e exigiu mesmo do goleiro brasileiro com um chute de fora da área. Aos sete minutos, Alderete pegou a sobra na entrada da área e soltou a bomba. Ederson voou e fez ótima defesa, jogando para escanteio o chute que atingiu a velocidade de 109 km/h.
Os donos da casa quase empataram a partida, aos 23: Almirón recebeu dentro da área após jogada de Rojas e bateu para o gol. A bola desviou em Militão e saiu para escanteio. A resposta canarinho veio aos 33: Neymar bateu falta, frontal, ensaiada e a bola passou perto da trave esquerda. Aos 44, Richarlison recebeu ótimo lançamento, bateu e marcou o segundo. Mas o assistente marcou impedimento, confirmado pelo VAR.
O Brasil voltou para a etapa final com Paquetá na vaga de Fred, que já havia levado o cartão amarelo, o segundo nas Eliminatórias, o que o deixa de fora do duelo com o Chile, no dia 2 de setembro, em Santiago. E a seleção quase ampliou o marcador na bola parada. Aos nove minutos, Neymar cruzou na medida, Marquinhos antecipou à zaga e desviou de cabeça, mas a bola caprichosamente passou tirando tinta da trave direita. Aos 18, foi a vez de Jesus servir Neymar, mas a finalização do camisa 10 foi para fora.
A seleção foi cedendo espaços e deixando o Paraguai com mais posse de bola. Entretanto, os donos da casa não souberam aproveitar as oportunidades. Enquanto isso, o Brasil administrou o resultado e, nos acréscimos, marcou mais um. Aos 47, Neymar fez grande jogada e serviu Paquetá, na entrada da área. Ele bateu de primeira, marcando o segundo e confirmando a liderança isolada nas Eliminatórias, com seis pontos à frente da Argentina, a segunda colocada.
Paraguai 0 Antony Silva; Rojas (Alberto Espínola), Gustavo Gómez, Alderete, Junior Alonso e Arzamendía; Giménez (Ávalos), Ángel Lucena e Villasanti (Óscar Romero); Almirón; Ángel Romero. Técnico: Eduardo Berizzo.
Brasil 2 Éderson; Danilo, Éder Militão, Marquinhos e Alex Sandro; Casemiro, Fred (Lucas Paquetá) e Neymar; Gabriel Jesus (Everton Cebolinha), Firmino (Douglas Luiz) e Richarlison (Gabigol). Técnico: Tite.
Árbitro: Patricio Loustau (ARG).
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário