Porto Alegre, quinta-feira, 06 de maio de 2021.
Dia do Cartógrafo.
Porto Alegre,
quinta-feira, 06 de maio de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Copa Sul-Americana

- Publicada em 21h06min, 06/05/2021. Atualizada em 21h12min, 06/05/2021.

Com 8 gols, Grêmio massacra o Aragua na Sul-Americana

Goleada histórica de 8 a 0 se tornou a maior de um clube brasileiro na história da competição

Goleada histórica de 8 a 0 se tornou a maior de um clube brasileiro na história da competição


LUCAS UEBEL /GRÊMIO FBPA/DIVULGAÇÃO/JC
Vinicius Alves
O Grêmio aplicou uma goleada histórica de 8 a 0 no Aragua-VEN. A partida foi válida pela 3ª rodada do grupo H da Copa Sul-Americana. Com a vitória, o tricolor segue na liderança do grupo, com 9 pontos, e caminha a passos largos para a próxima fase da competição. O resultado se tornou a maior goleada de um clube brasileiro na história da Sul-Americana.
O Grêmio aplicou uma goleada histórica de 8 a 0 no Aragua-VEN. A partida foi válida pela 3ª rodada do grupo H da Copa Sul-Americana. Com a vitória, o tricolor segue na liderança do grupo, com 9 pontos, e caminha a passos largos para a próxima fase da competição. O resultado se tornou a maior goleada de um clube brasileiro na história da Sul-Americana.
Dominante do início ao fim, o Grêmio não deu a menor chance para o clube venezuelano. Logo aos 2 minutos de jogo, Luiz Fernando aproveitou passe errado do adversário e só teve o trabalho de desviar do goleiro Yustiz. O atacante, novidade na escalação titular, também marcou o segundo gol tricolor, aos 17 minutos, após cruzamento de Rafinha sobrar dentro da área venezuelana.
Não satisfeito, o clube gaúcho seguiu pressionando os adversários e mais quatro gols saíram antes dos 30 minutos do primeiro tempo. De pênalti, Diego Souza marcou o terceiro aos 20 minutos. O atacante Ferreira, em dois ataques seguidos aos 22 e 23 minutos, ampliou a goleada para 5 a 0.
Quatro minutos depois, o zagueiro Arquímedes Hernández marcou contra ao tentar cortar de carrinho um cruzamento de Luiz Fernando. Com o 6 a 0 em menos de 30 minutos de partida, o Grêmio naturalmente diminuiu o ritmo de jogo e controlou o placar até o final da primeira etapa.
Com a vitória encaminhada, o técnico Tiago Nunes usou o segundo tempo para observar o elenco e poupar alguns titulares para a partida de volta da semifinal do Campeonato Gaúcho no domingo (9). Já na volta do intervalo, Geromel, Diego Souza e Ferreira foram substituídos por Paulo Miranda, Diego Churín e Guilherme Azevedo.
Embora com menos intensidade, os donos da casa seguiram comandando as ações do jogo. Aos 18 minutos da etapa complementar, Rafinha invade a área e, na tentativa de carrinho de Arquímedes Hernández, a bola toca na mão do zagueiro e o juiz marca o pênalti. Na cobrança, Maicon amplia a goleada já histórica.
O oitavo e último gol da partida veio com o argentino Diego Churín, de cabeça, após cruzamento do lateral Diogo Barbosa. Já o Aragua, teve suas duas melhores chances no jogo em dois gols impedidos no segundo tempo.
O placar expressivo também se tornou o maior já conquistado em competições oficiais da Conmebol. Antes disso, o Grêmio já havia vencido outras duas vezes por 6 a 1, sendo uma delas ainda em 2021, quando eliminou o Ayacucho-PER pela Pré-Libertadores. O último 8 a 0 na história tricolor aconteceu em abril de 1999, diante do Lajeadense pelo Campeonato Gaúcho.
O clube volta a campo no final de semana. Valendo vaga na final do Campeonato Gaúcho, domingo (9) às 16h, na Arena do Grêmio, o tricolor recebe o Caxias. Com a vantagem de 2 a 1 conquistada na partida de ida, o Grêmio se classifica com qualquer vitória ou empate. O clube da serra precisa vencer por 2 gols ou mais de diferença para ficar com a vaga.
FICHA TÉCNICA
Escalações
Grêmio: Brenno, Rafinha, Pedro Geromel (Paulo Miranda), Ruan e Diogo Barbosa; Thiago Santos (Pedro Lucas), Maicon e Darlan; Luiz Fernando (Ricardinho), Ferreira (Guilherme Azevedo) e Diego Souza (Diego Churín). Técnico: Tiago Nunes
Aragua: Yustiz; Manríque, Arquímedes Hernández, Andrés Farreras e José Yéguez (Zapata); Pedro Álvarez (Arias), Andrés Hernández, José Torres (Homero Calderón) e Duche; Juan García e Arace; Técnico: Enrique García
Gols: Luiz Fernando (2’ e 17’), Diego Souza (20’), Ferreira (22’ e 23’), Arquímedes Hernández (contra aos 27’), Maicon (18’ do segundo tempo) e Churín (31’ do segundo tempo)
Cartões Amarelos: José Yéguez e Pedro Àlvarez (Aragua)
Árbitro: Guillermo Guerrero (EQU)
Auxiliares: Christian Lescano e Juan Aguiar (EQU)
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário