Porto Alegre, terça-feira, 02 de março de 2021.
Dia Nacional do Turismo.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 02 de março de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Copa América

- Publicada em 17h15min, 02/03/2021. Atualizada em 20h55min, 02/03/2021.

Ministro da Colômbia aponta Copa América inviável sem público nos estádios

Competição estava agendada para o ano passado, mas foi transferida para 2021

Competição estava agendada para o ano passado, mas foi transferida para 2021


JUAN BARRETO/AFP/JC
Ernesto Lucena, Ministro de Esportes da Colômbia, disse, nesta terça-feira (2), que considera inviável a realização da Copa América, competição que organizará juntamente com a Argentina em junho e julho, sem público por causa da pandemia de Covid-19.
Ernesto Lucena, Ministro de Esportes da Colômbia, disse, nesta terça-feira (2), que considera inviável a realização da Copa América, competição que organizará juntamente com a Argentina em junho e julho, sem público por causa da pandemia de Covid-19.
Em entrevista a uma rádio colombiana, o político afirmou que "uma Copa América sem público não teria sentido" e que o governo colombiano estuda a criação de protocolos que possam garantir pelo menos 30% de torcedores nos jogos da competição que deveria ter sido disputada no ano passado.
A Colômbia registra até o momento 2.255.260 de casos da doença, com 59.866 mortes. Apesar dos números, o ministro confia na realização do evento. "A Colômbia está pronta para receber a Copa América. E o mais importante é passar uma mensagem de que estamos trabalhando para termos condições de ter público nos jogos, que é uma preocupação da Conmebol", afirmou Lucena, referindo-se à Confederação Sul-Americana de Futebol.
"Acreditamos que vamos poder ocupar 30% dos estádios, mas antes vamos falar com todas as autoridades. Evidentemente uma Copa América com zero público seria completamente inviável e, desta forma, seguimos trabalhando", disse o ministro.
Comentários CORRIGIR TEXTO