Porto Alegre, terça-feira, 23 de fevereiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 23 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Campeonato Brasileiro

- Publicada em 20h45min, 22/02/2021. Atualizada em 20h31min, 23/02/2021.

Arbitragem ganha protagonismo na reta final do Inter no Brasileirão

Árbitro Raphael Klaus protagonizou lance decisivo no jogo de domingo

Árbitro Raphael Klaus protagonizou lance decisivo no jogo de domingo


Marcelo Cortes/Flamengo/Divulgação/JC
Juliano Tatsch
O Inter chega na última rodada do Campeonato Brasileiro com chances reais de ser campeão e dar fim ao longo jejum de 41 anos sem levantar a taça. O ano teve nomes de destaque, como o recuperado Rodrigo Dourado, o incansável Edenílson, o reabilitado Patrick e os goleadores Thiago Galhardo e Yuri Alberto e, principalmente, o comandante Abel Braga. No entanto, a reta final da campanha colorada no campeonato ganhou um protagonista que não veste vermelho e branco quando em campo: o árbitro.
O Inter chega na última rodada do Campeonato Brasileiro com chances reais de ser campeão e dar fim ao longo jejum de 41 anos sem levantar a taça. O ano teve nomes de destaque, como o recuperado Rodrigo Dourado, o incansável Edenílson, o reabilitado Patrick e os goleadores Thiago Galhardo e Yuri Alberto e, principalmente, o comandante Abel Braga. No entanto, a reta final da campanha colorada no campeonato ganhou um protagonista que não veste vermelho e branco quando em campo: o árbitro.
O lance que resultou na expulsão do lateral-direito Rodinei na partida contra o Flamengo, no domingo (21), foi um dos vários casos envolvendo a arbitragem em jogos do Inter, sejam eles favoráveis ao colorado, sejam contrários.
Nas últimas seis rodadas, todos os jogos do time de Abel Braga tiveram lances polêmicos com fortes reclamações por parte das equipes envolvidas. O primeiro deles foi o clássico Grenal, válido pela 32ª rodada, disputado no dia 24 de janeiro. No jogo, realizado no Beira-Rio, o Inter venceu de virada por 2 a 1, após o árbitro Luiz Flávio de Oliveira não marcar um possível pênalti sobre o gremista Ferreira e, logo em seguida, assinalar um pênalti para o Inter. Em nenhum dos lances o árbitro foi ao VAR checar as imagens. As reclamações gremistas foram fortes.
Na rodada seguinte, a 33ª, mais um lance que teve reclamação envolvendo um pênalti dado para o Inter que resultou no gol da vitória por 2 a 1. Desta vez, contra o Bragantino. Sávio Pereira Sampaio, árbitro do duelo, marcou a penalidade depois de consultar o VAR. O lance foi uma bola cruzada da lateral que tocou no braço do defensor paulista após resvalar na barriga. A chiadeira dos jogadores do Bragantino também foi forte.
A 34ª rodada, por sua vez, foi de reclamação colorada. O Inter encarou o Athletico-PR, em Curitiba, e saiu com um empate em 0 a 0. A vitória, porém, poderia ter ocorrido se o árbitro Ricardo Marques Ribeiro tivesse apontado pênalti quando a bola tocou na mão de um zagueiro do Furacão, dentro da área, aos 49 minutos do segundo tempo. O árbitro não foi ao VAR verificar o lance.
A 35ª rodada também teve um lance polêmico que gerou muita reclamação no Beira-Rio. No segundo gol do Sport, que venceu o duelo por 2 a 1, a defesa colorada parou achando que a bola havia saído em cruzamento pela direita. O árbitro Rodolpho Toski validou a jogada após análise do VAR.
Na 36ª e antepenúltima rodada do Brasileirão, a reclamação foi dos dois lados. O Inter venceu o Vasco por 2 a 0, em São Januário, e a equipe carioca foi até o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) tentar a anulação da partida. Isso porque o VAR não funcionou quando do lance que resultou no primeiro gol colorado. Segundo a empresa responsável pelo equipamento, o sistema estava "descalibrado" e não conseguiu traçar as linhas para conferir se Rodrigo Dourado estava ou não impedido quando abriu o placar. No segundo tempo, a reclamação mudou de lado quando o árbitro Flávio Rodrigues marcou um pênalti inexistente em favor dos donos da casa e, ainda por cima, deu cartão amarelo para o zagueiro Victor Cuesta.
Por fim, a saga da arbitragem na reta final da campanha colorada teve mais um capítulo no domingo, quando o árbitro Raphael Claus foi ao VAR e expulsou Rodinei por entrada dura em Filipe Luís. No campo, nem cartão amarelo havia sido aplicado no lateral-direito colorado. Com um a menos, o Inter cedeu a virada ao Flamengo, que assumiu a liderança da competição faltando uma rodada para o término.
Agora, a expectativa para a última rodada não está somente em quem os técnicos Abel Braga e Rogério Ceni irão colocar em campo para seus confrontos contra Corinthians e São Paulo, respectivamente. Todos os olhos estão voltados para Wilton Pereira Sampaio, que apita Inter e Corinthians, e Rodolpho Toski, que comanda São Paulo e Flamengo.
{'nm_midia_inter_thumb1':'', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'603436379c884', 'cd_midia':9255704, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2021/02/22/as_polemicas_da_arbitragem_envolvendo_o_inter_jornal_do_comercio-9255704.jpg', 'ds_midia': 'As polêmicas da arbitragem envolvendo o Inter', 'ds_midia_credi': 'diagramação/jc', 'ds_midia_titlo': 'As polêmicas da arbitragem envolvendo o Inter', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '136', 'align': 'Left'}
Comentários CORRIGIR TEXTO