Porto Alegre, segunda-feira, 08 de fevereiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 08 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mundial de Clubes

- Publicada em 18h07min, 08/02/2021. Atualizada em 21h18min, 08/02/2021.

Bayern confirma favoritismo, bate Al Ahly e pega Tigres na final do Mundial de Clubes

Lewandowski foi o autor dos dois gols na vitória alemã sobre o time egípcio

Lewandowski foi o autor dos dois gols na vitória alemã sobre o time egípcio


KARIM JAAFAR/AFP/JC
O Bayern cumpriu sem sustos seu papel nas semifinais do Mundial. Muito superior tecnicamente, nesta segunda-feira (8), a equipe alemã venceu o egípcio Al Ahly por 2 a 0, gols marcados por Lewandowski, e se classificou à decisão da competição, marcada para a próxima quinta-feira (11).
O Bayern cumpriu sem sustos seu papel nas semifinais do Mundial. Muito superior tecnicamente, nesta segunda-feira (8), a equipe alemã venceu o egípcio Al Ahly por 2 a 0, gols marcados por Lewandowski, e se classificou à decisão da competição, marcada para a próxima quinta-feira (11).
O adversário na final será o Tigres, do México, que superou o Palmeiras por 1 a 0 na outra semifinal. Derrotado, o Al Ahly jogará contra o time brasileiro, também na quinta, mais cedo, Às 12h, em duelo que valerá a terceira colocação do campeonato, disputado no Qatar.
Se houve surpresa na definição do primeiro finalista, no último domingo (7), a partida de segunda (8) teve o desenho esperado. O campeão europeu estabeleceu claro domínio sobre o campeão africano, que fez o possível para frear os favoritos e pareceu satisfeito por não ter levado mais gols.
A formação do Egito contou com o apoio do público, limitado a pouco menos de 30% da capacidade do Ahmad Bin Ali Stadium, em Al Rayyan, nos arredores da capital Doha. Os egípcios são cerca de 10% da população do Qatar e marcaram sua presença no jogo.
No primeiro tempo, eles viram o Bayern ter o controle da posse de bola e ficar no campo de ataque. Os africanos eram aplicados na marcação, procurando fechar a região da grande área com duas linhas de quatro atletas, mas parecia questão de tempo para o bloqueio ser furado.
Isso aconteceu aos 17 minutos, quando Pavard tentou cruzamento da direita e foi travado. A sobra ficou com Coman, que bateu cruzado. No segundo pau, Gnabry teve a tranquilidade de rolar para Lewandowski abrir o placar.
O gol não mudou o panorama do confronto. Os alemães trocavam passes com precisão e chegavam com relativa facilidade à entrada da área. Roca, Lewandowski e Davies tiveram boas chances para ampliar a vantagem antes do intervalo.
Na etapa final, apenas um gol atrás no marcador, o Al Ahly começou a se soltar um pouco mais, buscando surpreender em lances de velocidade. E o Bayern, bem menos incisivo do que nos 45 minutos iniciais, passou a trocar passes de maneira menos objetiva.
O técnico Hans-Dieter Flick gastou suas cinco substituições, controlando o desgaste dos jogadores. As mexidas não alteraram o ímpeto do campeão europeu, que levou o duelo em ritmo morno, à espera do apito final.
Quando a chance se apresentou, Lewandowski voltou a mostrar seu faro de gol para matar o jogo. Aos 40 minutos, Sané recebeu na ponta direita e cruzou no segundo pau. A bola encobriu o goleiro e se ofereceu para o cabeceio do artilheiro.
Assim, sem sustos e sem a necessidade de gastar muita energia, o Bayern confirmou seu favoritismo e avançou à decisão. O Al Ahly, satisfeito em não ser goleado, agora se concentra na briga com o Palmeiras pelo terceiro lugar.
Comentários CORRIGIR TEXTO