Porto Alegre, domingo, 07 de fevereiro de 2021.
Dia do Gráfico.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 07 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mundial de Clubes

- Publicada em 18h47min, 07/02/2021.

Palmeiras cai para o Tigres e vê sonho do Mundial acabar na semi

Gignac foi o autor do gola da vitória, de pênalti, do time mexicano no início da etapa final

Gignac foi o autor do gola da vitória, de pênalti, do time mexicano no início da etapa final


KARIM JAAFAR/AFP/JC
O Palmeiras viu seu sonho de conquistar o Mundial de Clubes chegar ao fim de maneira precoce neste domingo (7). Com uma atuação sem brilho e pouca inspiração, os paulistas foram eliminados na semifinal, em Doha, pelos mexicanos do Tigres, por 1 a 0. Agora, juntam-se a Atlético-MG e Inter, que também caíram na mesma fase. Outros dois sul-americanos foram o Atlético Nacional, da Colômbia, e o River Plate.
O Palmeiras viu seu sonho de conquistar o Mundial de Clubes chegar ao fim de maneira precoce neste domingo (7). Com uma atuação sem brilho e pouca inspiração, os paulistas foram eliminados na semifinal, em Doha, pelos mexicanos do Tigres, por 1 a 0. Agora, juntam-se a Atlético-MG e Inter, que também caíram na mesma fase. Outros dois sul-americanos foram o Atlético Nacional, da Colômbia, e o River Plate.
Depois de perder a final diante do Manchester United em 1999, numa bela apresentação, a esperança era enorme por uma reviravolta no Catar, e a busca pelo tão sonhado título. Só que o retorno à competição foi frustrante. Nem de perto o Palmeiras foi aquele time dominante e apontado entre os melhores do País e da América do Sul. Faltou um ímpeto ofensivo maior, apesar da luta até o apito final. Não teve o grande lance, a pressão, o susto.
O Palmeiras tinha a obrigação de jogar melhor. Mas sucumbiu, possivelmente pela pressão por um resultado positivo no Mundial. Peças importantes sentiram e renderam pouco. Agora é repetir a campanha brilhante na temporada para buscar voltar ao Mundial o mais breve possível, pois elenco a equipe tem de sobra. 
A equipe paulista não fez um primeiro tempo primoroso, e necessitava de uma conversa e acerto no intervalo. Apesar de bem em uma parte da etapa inicial, faltaram finalizações e mais objetividade.
A volta para a segunda fase seguiu abaixo do esperado. Com sete minutos, Luan agarrou o atacante na área de maneira infantil. A arbitragem viu o pênalti. Gignac bateu e Weverton não conseguiu defender, apesar de resvalar na bola.
O Palmeiras tinha menos de 40 minutos para colocar a cabeça no lugar e buscar a igualdade. Abel Ferreira nem esperou e optou pela força de Patrick de Paula e a garra de Felipe Melo para "chacoalhar" os companheiros. Lançou, ainda, Willian.
O gol, porém, foi uma ducha de água fria no Palmeiras. O time sentiu demais. A bola passou a queimar nos pés e as jogadas não eram concluídas com perfeição. Rony até empatou, mas impedido. Colocar a cabeça no lugar era necessário para a busca pela igualdade. Mas a tensão se fazia presente e o relógio jogava contra.
O Palmeiras lutou pelo empate até o fim, sem êxito. Sobrou coração, mas o grito do gol não veio. Agora é reerguer a cabeça e seguir o trabalho que vem dando frutos há tempos. A conquista do Mundial será consequência.
Palmeiras 0
Weverton; Marcos Rocha (Mayke), Luan, Gustavo Gómez e Vina; Danilo (Felipe Melo), Zé Rafael (Patrick de Paula), Gabriel Menino (Willian) e Raphael Veiga (Gustavo Scarpa); Rony e Luiz Adriano. Técnico: Abel Ferreira.
Tigres 1
Guzmán; Luis Rodríguez, Reyes, Salcedo e Dueñas (Mexa); Rafael Carioca, Pizarro, Quiñones (Fulgêncio) e Aquino (Sierra); Carlos González e Gignac. Técnico: Tuca Ferretti.
Árbitro: Danny Makkelie (Holanda).
Comentários CORRIGIR TEXTO