Porto Alegre, domingo, 24 de janeiro de 2021.
Dia Nacional do Aposentado.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 24 de janeiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Campeonato Brasileiro

- Publicada em 18h06min, 24/01/2021. Atualizada em 20h22min, 24/01/2021.

Grenal 429: Inter vence de virada por 2x1, quebra tabu e mantém liderança

Com pênalti nos descontos do 2° tempo, Inter abriu quatro pontos de vantagem na liderança

Com pênalti nos descontos do 2° tempo, Inter abriu quatro pontos de vantagem na liderança


RICARDO DUARTE/INTER/DIVULGAÇÃO/JC
Igor Natusch
Clássicos Grenal, na temporada 2020, tivemos muitos. Mas não é exagero dizer que o jogo desse domingo (24) era, de todos eles, o que mais forte pulsava com tensões, sonhos de triunfo e temores de derrota. Vencer era, para o Inter, ter o caminho aberto rumo ao título do Campeonato Brasileiro; para o Grêmio, a perspectiva de uma arrancada capaz de aproximá-lo da luta pela taça. No fim das contas, é o lado vermelho do Rio Grande do Sul quem saiu sorrindo: em um jogo que se decidiu nos últimos instantes, o Colorado virou e venceu por 2 a 1, quebrando um jejum que dois anos em clássicos e aproximando-se da taça que não vai para o Beira-Rio desde 1979.
Clássicos Grenal, na temporada 2020, tivemos muitos. Mas não é exagero dizer que o jogo desse domingo (24) era, de todos eles, o que mais forte pulsava com tensões, sonhos de triunfo e temores de derrota. Vencer era, para o Inter, ter o caminho aberto rumo ao título do Campeonato Brasileiro; para o Grêmio, a perspectiva de uma arrancada capaz de aproximá-lo da luta pela taça. No fim das contas, é o lado vermelho do Rio Grande do Sul quem saiu sorrindo: em um jogo que se decidiu nos últimos instantes, o Colorado virou e venceu por 2 a 1, quebrando um jejum que dois anos em clássicos e aproximando-se da taça que não vai para o Beira-Rio desde 1979.
Agora, o Inter tem 62 pontos, abrindo quatro pontos para o segundo colocado, o São Paulo. O Grêmio, por sua vez, estaciona nos 51 e dá adeus a qualquer chance realista no Brasileirão. A partida também trazia uma espécie de confronto particular entre Abel Braga e Renato Portaluppi: mesmo com ampla história em seus clubes, os dois treinadores nunca tinham se enfrentado em um Grenal.
O jogo começou estudado, com as duas equipes evitando grandes riscos. Com marcações encaixadas, uma equipe fechava os espaços da outra, em um jogo de bastante intensidade, mas poucos espaços. O Inter talvez fosse ligeiramente mais presente no ataque, mas não chegava a criar chances claras de conclusão. Enquanto isso, os resultados paralelos ajudavam a Dupla, deixando a disputa no Beira-Rio ainda mais decisiva.
Aos 34mins, a primeira grande chance. Em uma jogada bem tramada, o lance sobrou para Yuri Alberto; Vanderlei precisou salvar, e a bola ainda beliscou o travessão antes de sair. O ímpeto colorado crescia, e o Tricolor tinha dificuldade para conter as investidas. A lesão de Geromel, que deixou o gramado aos 40mins, parecia complicar ainda mais as coisas para os gremistas. O apito do intervalo acabou sendo muito bem-vindo para os comandados de Renato Portaluppi.
O segundo tempo começou colorado. Embora tentasse marcar mais adiantado, o Grêmio acabava devolvendo a posse muito rápido, o que mantinha a pressão. Mais ligado, o Inter marcava compacto, mas era vertical quando tinha o domínio. Qualquer um que olhasse casualmente a partida percebia que, quando tinham a bola, os vermelhos se moviam bem mais rápidos que os azuis.
Com o passar dos minutos, os nervos gremistas voltaram para o lugar, e surgiram as primeiras chances tricolores, em chutes de Jean Pyerre e Diego Souza. Aos 26mins, em contra-ataque, o centroavante gremista teve a chance de novo, mas o toque por cobertura acabou indo para fora.
Depois da pausa para a água, Renato Portaluppi fez uma alteração tripla, colocando em campo Maicon, Ferreira e Luiz Fernando, em uma tentativa clara de mudar a história do jogo. O momento era gremista, e se concretizou aos 33 mins. Em contra-ataque fulminante puxado por Diego Barbosa, o cruzamento caiu para Diego Souza, que fez uma assistência simples para Jean Pyerre, livre: 1 a 0 para o Grêmio.
O gol trouxe minutos de abalo emocional para o Inter, que desencaixou e correu riscos no contragolpe. Depois de certo sofrimento, o Colorado começou a arriscar, meio de qualquer jeito – uma iniciativa que não enchia os olhos, mas que acabou tendo sucesso, aos 44 minutos. Em levantamento de Cuesta, a bola cruzou a área pelo alto e Abél Hernández, de cabeça, fuzilou para empatar.
Se o abalo anterior foi colorado, o empate tirou a cabeça gremista do lugar. E já estávamos nos descontos do segundo tempo quando Edenilson cabeceou e a bola bateu no braço de Kannemann, dentro da área. O árbitro Luiz Flávio de Oliveira marcou a penalidade, mesmo com muito protestos dos gremistas. E Edenilson bateu firme, tirando de Vanderlei para lançar a torcida colorada em uma deliciosa festa. O jejum acabou, e o título está mais ao alcance do que nunca.
Internacional 2 x 1 Grêmio
Marcelo Lomba; Rodinei, Lucas Ribeiro, Victor Cuesta e Moisés (Uendel); Rodrigo Dourado (Nonato), Edenilson, Patrick (Abel Hernández) e Praxedes (Marcos Guilherme); Peglow (Maurício) e Yuri Alberto. Técnico: Abel Braga.
Vanderlei; Victor Ferraz, Geromel (Rodrigues), Kannemann e Diogo Barbosa; Lucas Silva (Maicon), Matheus Henrique, Alisson (Luiz Fernando), Jean Pyerre (Pinares) e Pepê (Ferreira); Diego Souza. Técnico: ARenato Portaluppi.
Árbitro: Luiz Flávio de Oliveira (Fifa-SP).
Comentários CORRIGIR TEXTO