Porto Alegre, sábado, 12 de dezembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 12 de dezembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Libertadores da América

- Publicada em 23h56min, 09/12/2020. Atualizada em 21h37min, 12/12/2020.

Inter domina o Boca Juniors, mas acaba derrotado nos pênaltis

Inter foi melhor no tempo normal, mas acabou desperdiçando duas cobranças na Bombonera

Inter foi melhor no tempo normal, mas acabou desperdiçando duas cobranças na Bombonera


MARCELO ENDELLI/AFP/JC
Deivison Ávila
O Inter foi bravo nesta quarta-feira (9), em Buenos Aires. Fez a melhor partida desde que Eduardo Coudet abandonou o clube. O, agora, time de Abel Braga controlou o Boca Juniors em plena Bombonera. Não foi sequer ameaçado.
O Inter foi bravo nesta quarta-feira (9), em Buenos Aires. Fez a melhor partida desde que Eduardo Coudet abandonou o clube. O, agora, time de Abel Braga controlou o Boca Juniors em plena Bombonera. Não foi sequer ameaçado.
O Colorado venceu por 1 a 0 no tempo normal e poderia ter definido a vaga às quartas de final da Libertadores da América. Só que nas cobranças de pênalti, assim como na Copa do Brasil, o Colorado fracassou, desperdiçou duas cobranças e foi derrotado por 5 a 4, dando adeus ao torneio continental.
A escalação, de certa forma, surpreendeu a todos. Sem Rodrigo Dourado, D’Alessandro e Yuri Alberto, o Colorado foi a campo com Lindoso, Praxedes e apenas Thiago Galhardo na frente. E, surpreendentemente, a formação deu mais que certo e a primeira oportunidade foi dos gaúchos. Aos 17 minutos, Patrick invadiu a área, fez bela jogada e tocou para Galhardo, que chutou forte e a bola estourou no travessão.
Sem ser ameaçado, o Inter seguiu trocando passes, tendo mais posse de bola que os argentinos. Aos 25, Patrick recebeu passe de Moisés, passou por Capaldo e cruzou na cabeça de Praxedes, que concluiu fraco, em cima de Andrada. Quatro minutos depois foi a vez de Galhardo cabecear para Andrada voar e defender. Ao final do primeiro tempo, o Colorado teve 62% de posse de bola, contra 38% dos argentinos.
Os times voltaram iguais para os 45 minutos finais. E o Inter seguiu com a mesma postura. E com uma bela jogada de Patrick, o Inter marcou o tão desejado gol na Bombonera. Logo aos dois minutos, o meia acionou Moisés na esquerda que cruzou rasteiro. Fabra se atrapalhou com a chegada de Marcos Guilherme e mandou para o fundo das redes do próprio gol.
O gol sofrido fez com que o Boca buscasse uma reação. Aos 12 minutos, a primeira chegada efetiva dos argentinos: Tévez recebeu na esquerda, passa por Moledo, entrou para o meio e chutou no ângulo. Lomba brilhou e salvou o Colorado.
Abelão, então, colocou a velocidade dos jovens, mantendo a bola na frente. Já o Boca tentava assustar nos contra-ataques. Em uma de suas primeiras investidas, Peglow entrou a dribles na área e foi travado na última hora. Na cobrança de escanteio, aos 37, Andrada não segurou e a bola sobrou livre para Cuesta, que chutou por cima, desperdiçando a chance do gol da classificação.
Nos minutos finais, os donos da casa ainda tiveram Obando expulso, por falta grave em Edenilson. Sem tempo para mais nada, a vaga nas quartas de final foi decidida nos pênaltis.
O Boca iniciou batendo. Tévez, Salvio, Fabra e Izquierdoz marcaram. Cardona parou nas mãos de Lomba na segunda cobrança. Do lado colorado, Rodinei, Edenilson, Yuri Alberto e Leandro Fernández converteram. Lindoso chutou para fora a terceira batida. Nas cobranças intercaladas. Jara fez. Já o jovem Peglow jogou para fora a chance do Inter seguir brigando por uma vaga nas quartas de final.

Escalação

Boca Juniors 0 (5): Andrada; Buffarini (Jara), Lisandro López, Izquierdoz e Fabra; Capaldo, Campuzano, Cardona, Salvio e Villa (Obando); Tévez. Técnico: Miguel Ángel Russo.
Inter 1 (4): Marcelo Lomba; Rodinei, Moledo, Cuesta e Moisés; Lindoso, Marcos Guilherme (Yuri Alberto), Praxedes (Dourado), Edenilson e Patrick (Leandro Fernández); Thiago Galhardo (Peglow). Técnico: Abel Braga.
Árbitro: Roberto Tobar (CHI).
Comentários CORRIGIR TEXTO