Porto Alegre, segunda-feira, 30 de novembro de 2020.
Dia da Reforma Agrária.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 30 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Futebol Argentino

- Publicada em 13h27min, 25/11/2020. Atualizada em 20h43min, 30/11/2020.

Aos 60 anos, Diego Maradona morre após parada cardiorrespiratória

Maior ídolo do futebol argentino sofreu uma parada cardiorrespiratória

Maior ídolo do futebol argentino sofreu uma parada cardiorrespiratória


JUAN MABROMATA/AFP/JC
O ídolo maior do futebol argentino, Diego Armando Maradona, não resistiu nesta terça-feira (25) a uma parada cardiorrespiratória e morreu em sua casa. A informação foi confirmada pelo jornal Clarín, de Buenos Aires, um dos principais da Argentina.
O ídolo maior do futebol argentino, Diego Armando Maradona, não resistiu nesta terça-feira (25) a uma parada cardiorrespiratória e morreu em sua casa. A informação foi confirmada pelo jornal Clarín, de Buenos Aires, um dos principais da Argentina.
A notícia foi confirmada por outros veículos de imprensa, como os jornais OléLa Nacion. Conforme o La Nacion, nove ambulâncias foram deslocadas para a residência de Maradona para tentar reanimá-lo, sem sucesso.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/11/25/206x137/1_maradona_ole-9197629.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5fbe8966c3efc', 'cd_midia':9197629, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/11/25/maradona_ole-9197629.jpg', 'ds_midia': 'Jornal Olé noticia a morte de Diego Maradona', 'ds_midia_credi': 'Ole/Reprodução/JC', 'ds_midia_titlo': 'Jornal Olé noticia a morte de Diego Maradona', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '366', 'align': 'Left'}
Principal veículo esportivo argentino, jornal Olé também noticia a morte do ídolo (Olé/Reprodução/JC)
Aos 60 anos de idade, Maradona havia passado recentemente por uma cirurgia na cabeça para a retirada de um hematoma subdural e estava se recuperando do pós-operatório. Ele havia deixado a Clínica Olivos, em Buenos Aires, no dia 11 deste mês, e iniciado a recuperação em uma casa alugada especialmente adaptada para poder continuar seu tratamento contra o vício no álcool.
O tom emocionado do texto que noticiou a morte do ex-craque no Clarín dá o tom do impacto da morte de Maradona para o país vizinho.
"E um dia aconteceu. Um dia o inevitável aconteceu. É um tapa emocional e nacional. Um golpe que reverbera em todas as latitudes. Um impacto mundial. Uma notícia que marca uma dobradiça na história. A frase que foi escrita várias vezes mas que foi driblada pelo destino agora faz parte da triste realidade: Diego Armando Maradona morreu", diz a crônica.
O presidente argentino, Alberto Fernández, se manifestou em sua conta no Twitter. "Você nos levou ao topo do mundo. Você nos fez imensamente felizes. Você foi o maior de todos. Obrigado por ter existido, Diego. Nós vamos sentir sua falta para a vida", escreveu o presidente.
Fernández decretou luto oficial por três dias na Argentina.
Comentários CORRIGIR TEXTO