Porto Alegre, quarta-feira, 11 de novembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 11 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Eliminatória Sul-Americana

- Publicada em 20h34min, 11/11/2020.

Seleção brasileira testa modelo de sufoco ao rival, sem Neymar

Tite sofreu com cinco baixas da lista original para os próximos dois jogos

Tite sofreu com cinco baixas da lista original para os próximos dois jogos


LUCAS FIGUEIREDO/CBF/JC
Após uma vitória por 5 a 0 sobre a Bolívia e um triunfo por 4 a 2 contra o Peru, a seleção brasileira buscará dar sequência, sem Neymar, a seu bom início nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022. O atacante está fora da partida contra a Venezuela, nesta sexta-feira (13), às 21h30min, em São Paulo.
Após uma vitória por 5 a 0 sobre a Bolívia e um triunfo por 4 a 2 contra o Peru, a seleção brasileira buscará dar sequência, sem Neymar, a seu bom início nas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022. O atacante está fora da partida contra a Venezuela, nesta sexta-feira (13), às 21h30min, em São Paulo.
Ao que tudo indica, Tite voltará a adotar a estratégia que funcionou no começo do torneio classificatório, sobretudo na estreia, também na capital paulista. O desafio é fazer a engrenagem operar de maneira semelhante sem o camisa 10, em recuperação de lesão na coxa esquerda.
Enquanto o craque corre e tenta se colocar à disposição para o duelo com o Uruguai, na próxima terça-feira (17), em Montevidéu, o treinador trabalha na formação que receberá os venezuelanos. A ideia é sufocar os visitantes no Morumbi, como foi feito em Itaquera com os bolivianos.
Sem poder contar com cinco jogadores da primeira lista de convocados, Tite esboçou na atividade desta quarta-feira (11) uma possível formação para enfrentar os venezuelanos. O Brasil pode ter Alisson; Danilo, Marquinhos, Thiago Silva e Renan Lodi; Allan, Douglas Luiz e Everton Ribeiro; Gabriel Jesus, Richarlison e Roberto Firmino. A equipe ainda realiza um último treino na manhã desta quinta-feira e viaja à tarde para a capital paulista.
O adversário mostrou na Copa América ser capaz de armar um sistema de marcação firme. A seleção venceu a competição sem Neymar, também machucado na época, porém teve dificuldade em duelos com rivais fechados, e ficou no 0 a 0 com os venezuelanos na primeira fase, ouvindo vaias.
A seleção venezuelana também mudou bastante desde o torneio continental e, agora sob comando do português José Peseiro, começou as Eliminatórias perdendo para a Colômbia por 3 a 0, fora de casa, e para o Paraguai por 1 a 0, em casa. Não é difícil prever uma retranca em São Paulo.
Comentários CORRIGIR TEXTO