Porto Alegre, quinta-feira, 22 de outubro de 2020.
Dia do Enólogo.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 22 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Fórmula 1

- Publicada em 19h44min, 22/10/2020.

Sem contrato para 2021, Hamilton diz que quer ficar, mas não sabe por quanto tempo

Desde 2013 na escuderia, o britânico quer definir alguns pontos para renovar o contrato

Desde 2013 na escuderia, o britânico quer definir alguns pontos para renovar o contrato


JOE PORTLOCK/AFP/JC
Enquanto algumas peças na parte de trás do grid começam a se movimentar em relação ao mercado de pilotos para o ano que vem, a grande estrela da Fórmula 1, Lewis Hamilton, ainda não se decidiu a respeito de seu futuro na Mercedes. O inglês, prestes a conquistar o sétimo título mundial, quer continuar, mas admite que há alguns pontos que ele quer discutir com o time em que está desde 2013.
Enquanto algumas peças na parte de trás do grid começam a se movimentar em relação ao mercado de pilotos para o ano que vem, a grande estrela da Fórmula 1, Lewis Hamilton, ainda não se decidiu a respeito de seu futuro na Mercedes. O inglês, prestes a conquistar o sétimo título mundial, quer continuar, mas admite que há alguns pontos que ele quer discutir com o time em que está desde 2013.
Durante entrevista coletiva realizada nesta quinta-feira (22) em Portimão, em Portugal, palco da 12ª etapa do Mundial, Hamilton foi questionado se as transformações que o mundo vem passando neste ano interferem de alguma forma em sua decisão sobre a duração do novo contrato com a Mercedes. O inglês assinou por três anos no final de 2012, renovou por mais três anos em 2015 e assinou por dois em 2018, até porque, naquela época, todos os contratos, inclusive o da Mercedes com a F-1, iam até o final de 2020.
Agora, a Mercedes renovou seu acordo até 2025, e a grande mudança de regulamento, inicialmente planejada para o ano que vem, vai acontecer em 2022. E tudo isso pesa para Hamilton, que também se preocupa com a relevância da tecnologia empregada pela F-1. O piloto, inclusive, anunciou recentemente que terá um time na Extreme E, categoria de SUVs totalmente elétricos, que corre em locais que vivem problemas relacionados a danos causados pelo homem ao meio-ambiente.
"Não tomei nenhuma decisão. Quero ficar. Quando nós sentarmos para negociar, normalmente, concordamos em estender o contrato por três anos, mas é claro que a realidade é outra agora. E também não sei se quero ficar por mais três anos. São muitas as questões que ainda não estão respondidas. E tem também a mudança de regulamento de 2022, que me empolga bastante”, pondera o hexacampeão.
"A curto prazo, há complicações, mas a longo prazo, o futuro é positivo: vimos recentemente a Honda mudando e focando seu desenvolvimento mais para os carros elétricos, algo que a Mercedes já vem fazendo. São coisas sobre as quais vamos conversar nos próximos meses", acrescenta.
Hamilton tem 35 anos e faz sua 14ª etapa na Fórmula 1 neste ano, sendo a oitava com a Mercedes. Ele recentemente se igualou a Michael Schumacher como o maior vencedor da história da categoria.
Comentários CORRIGIR TEXTO