Porto Alegre, sábado, 17 de outubro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 17 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Campeonato Brasileiro

- Publicada em 23h19min, 17/10/2020. Atualizada em 23h26min, 17/10/2020.

Grêmio domina no Morumbi, mas fica no 0 a 0 com o São Paulo

Pepê participou de muitos lances de perigo, mas não conseguiu marcar como em jogos anteriores

Pepê participou de muitos lances de perigo, mas não conseguiu marcar como em jogos anteriores


LUCAS UEBEL/GRÊMIO FBPA/DIVULGAÇÃO/JC
Em um dos jogos mais aguardados da rodada, São Paulo e Grêmio decepcionaram neste sábado (17). Após um forte início de partida, o anfitrião caiu de rendimento e ainda viu o rival gaúcho dominar as ações durante maior parte do jogo, que acabou mesmo no 0 a 0, no Morumbi, pela 17ª rodada do Brasileirão.
Em um dos jogos mais aguardados da rodada, São Paulo e Grêmio decepcionaram neste sábado (17). Após um forte início de partida, o anfitrião caiu de rendimento e ainda viu o rival gaúcho dominar as ações durante maior parte do jogo, que acabou mesmo no 0 a 0, no Morumbi, pela 17ª rodada do Brasileirão.
Mais consistente, o Grêmio criou as melhores oportunidades de gol, mas falhou nas finalizações. O São Paulo, por sua vez, parecia disposto a atropelar o rival, a julgar pelos primeiros minutos de jogo, porém os erros na defesa, principalmente na saída de bola, comprometeram qualquer tentativa de vitória em casa.
O resultado atrapalhou os planos das duas equipes. O time paulista, que queria se aproximar dos líderes, ocupa o quarto lugar, com 27 pontos, a três dos primeiros colocados. O Grêmio tem 21 e figura no 10º posto da tabela.
São Paulo e Grêmio fizeram um primeiro tempo marcado pelo equilíbrio e por bons momentos das duas equipes em diferentes momentos da etapa. O começo foi totalmente dominado pelo time da casa. Como costuma fazer, a equipe liderada por Fernando Diniz impôs pressão e até sufoco à defesa gremista, que voltou a contar com a dupla formada por Pedro Geromel e Kannemann.
Foram 15 minutos de ataque, com chances de Luciano, Brenner e até do zagueiro Bruno Alves. O São Paulo chegou a registrar 86% de posse de bola. Com Daniel Alves de volta à lateral direita, o time anfitrião conseguia atacar com nove jogadores, impondo perigo constante ao gol dos visitantes.
A situação passou a mudar a partir dos 25 minutos. Após se segurar na defesa, o Grêmio saiu para o jogo e equilibrou as ações com finalizações perigosas de Pepê e Maicon. O time gaúcho só não conseguiu ameaçar mais porque Alisson, principal referência na armação gremista, sentiu dores no tornozelo e jogava abaixo do esperado.
Mesmo com o meia longe de sua melhor performance, o Grêmio voltou melhor para o segundo tempo, invertendo os papéis com o São Paulo, em comparação ao início do primeiro tempo. Logo aos 5, Reinaldo e Geromel dividiram na área e o zagueiro gremista pediu pênalti - o lance não foi analisado pelo VAR.
O São Paulo tinha dificuldade em sair de trás e encontrava o Grêmio mais equilibrado no meio-campo, mesmo após a saída de Alisson. Luciano acabou isolado no ataque, enquanto Daniel Alves sofria na marcação e não conseguia apoiar o setor ofensivo.
Para piorar, cometia erros bobos na defesa. Em um deles, entregou o passe e o contra-ataque nos pés de Pepê, que precisou ser derrubado quase dentro da área. Na cobrança de falta, Jean Pyerre quase abriu o placar, aos 29 minutos.
No ataque, o experiente jogador também ficou devendo. Foi sua a melhor oportunidade do São Paulo no segundo tempo, em cobrança de falta, aos 40. Na finalização, Daniel Alves isolou a bola.
Preocupado, Fernando Diniz passou a recorrer a mais jogadores da base. Mas nem Toró e ou Paulinho Boia conseguiram recuperar o setor ofensivo são-paulino.
Do outro lado, o Grêmio apostava na marcação alta, à espera de nova brecha na defesa. Mas o São Paulo se resguardou nos minutos finais e garantiu o 0 a 0.
São Paulo 0 x 0 Grêmio
Tiago Volpi; Daniel Alves, Diego, Bruno Alves, Reinaldo; Luan, Tchê Tchê, Gabriel Sara (Toró); Igor Gomes (Vitor Bueno), Brenner (Paulinho Bóia) e Luciano (Tréllez). Técnico: Fernando Diniz.
Vanderlei; Orejuela, Pedro Geromel, Kannemann, Bruno Cortez; Matheus Henrique, Maicon (Jean Pyerre), Alisson (Thaciano); Isaque (Lucas Silva), Luiz Fernando (Ferreira) e Pepê. Técnico: JRenato Portaluppi.
Árbitro: Rafael Traci (SC).
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO