Porto Alegre, sexta-feira, 16 de outubro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 16 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Gente

- Publicada em 10h04min, 16/10/2020.

Celestino Valenzuela, autor do bordão 'Que Lance', morre aos 92 anos

Natural de Alegrete, Valenzuela foi um dos maiores narradores esportivos do Estado

Natural de Alegrete, Valenzuela foi um dos maiores narradores esportivos do Estado


COLETIVA.NET/DIVULGAÇÃO/JC
Autor de um dos bordões mais conhecidos para quem é da velha guarda no radiojornalismo esportivo, Celestino Valenzuela faleceu na noite dessa quinta-feira (15) no Hospital São Francisco, da Santa Casa de Porto Alegre. Valenzuela tinha 92 anos e foi vítima de complicações em decorrência de um infarto sofrido em 9 de junho, dia de seu aniversário, segundo o site de GZH. 
Autor de um dos bordões mais conhecidos para quem é da velha guarda no radiojornalismo esportivo, Celestino Valenzuela faleceu na noite dessa quinta-feira (15) no Hospital São Francisco, da Santa Casa de Porto Alegre. Valenzuela tinha 92 anos e foi vítima de complicações em decorrência de um infarto sofrido em 9 de junho, dia de seu aniversário, segundo o site de GZH. 
Famoso pela célebre frase "Que Lance", Valenzuela era natural de Alegrete e trabalhou em veículos de imprensa do Rio Grande do Sul, como RBS TV, Rádio Gaúcha, Itaí, Difusora e Farroupilha. Além de futebol, também narrava partidas de vôlei e basquete.
Sua voz é marcante para torcedores de Grêmio e Inter que colocavam o aparelho de rádio no ouvido entre os anos 1970 e 1980. Valenzuela narrou os títulos brasileiros conquistados pelo Inter em 1975, 1976 e 1979, assim como as conquistas gremistas na década posterior, como Libertadores e Mundial, em 1983.
Comentários CORRIGIR TEXTO