Porto Alegre, sábado, 03 de outubro de 2020.
Dia do Petróleo Brasileiro. Dia Mundial do Dentista.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 03 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Campeonato Brasileiro

- Publicada em 19h10min, 03/10/2020.

Após segundo tempo agitado, sexto Grenal do ano termina em 1 a 1

Resultado do clássico acabou não sendo bom para nenhuma das equipes, que seguem somando poucos pontos no Brasileirão

Resultado do clássico acabou não sendo bom para nenhuma das equipes, que seguem somando poucos pontos no Brasileirão


LUCAS UEBEL/GRÊMIO FBPA/DIVULGAÇÃO/JC
Igor Natusch
Terminou empatado o sexto Grenal da temporada 2020. Depois de uma primeira etapa modorrenta, as emoções se concentraram na etapa final, e o 1 a 1 final refletiu bem o equilíbrio dentro das quatro linhas.
Terminou empatado o sexto Grenal da temporada 2020. Depois de uma primeira etapa modorrenta, as emoções se concentraram na etapa final, e o 1 a 1 final refletiu bem o equilíbrio dentro das quatro linhas.
O placar não deixou ninguém feliz, mas também não chegou a ser trágico para nenhuma das equipes. O Grêmio ampliou a invencibilidade em clássicos para onze jogos, mas segue na metade de baixo do Campeonato Brasileiro, distante dos líderes. O Inter, por sua vez, não conseguiu romper a estatística que assombra o trabalho de Eduardo Coudet, e corre o risco de ver o Atlético-MG deslanchar na liderança, mas buscou um empate com um jogador a menos, o que não deixa de ter o seu valor.
Se fôssemos descrever a primeira etapa do clássico com uma única palavra, “morno” seria uma boa opção. Outra alternativa poderia ser “previsível” - afinal, nenhum Grenal em 2020 teve gols na primeira etapa, e esse não foi exceção.
Os primeiros minutos foram de um Inter ansioso, mas com maior posse de bola, enquanto o Grêmio tirava espaços e tentava fazer o desarme. A primeira chance do jogo foi colorada, aos 16mins. Heitor surgiu nas costas de Cortez e chutou em diagonal, para fora. Depois disso, porém, o Tricolor se assentou melhor em campo, e começou a se fazer mais presente no campo adversário. Nada disso, porém, refletia em chances claras de gol.
O melhor momento do Grêmio foi aos 38mins, com Lucas Silva chutando de longe e exigindo uma boa defesa de Marcelo Lomba. Fora isso, porém, quase nada aconteceu, e o clima chuvoso em Porto Alegre deve ter deixado alguns torcedores à beira de um cochilo.
A segunda etapa começou mais pegada. Em menos de três minutos, dois cartões amarelos foram distribuídos, para Cuesta e Cortez. E essa eletricidade toda logo reverteu em gol - para o lado tricolor. Aos 8mins, Diego Souza tentou a arrancada, a bola sobrou para Pepê e o meia-atacante teve tranquilidade para limpar o lance e tocar por cobertura para abrir o placar.
O gol abalou temporariamente os colorados, que reclamaram de falta em Thiago Galhardo na origem do lance. Aos 11, no contra-ataque, Lomba precisou salvar em chute de Alisson pela direita. Com o ídolo D’Alessandro em campo, o técnico Eduardo Coudet tentava dar mais ofensividade e, ao mesmo tempo, segurar os nervos do Inter dentro do campo.
Aos 20mins, Thiago Galhardo ficou livre no contra-ataque e chutou muito perto do gol, deixando Renato Portaluppi furioso com a falha de marcação. Mas um golpe duro viria para a reação colorada aos 24: Musto atingiu o rosto de Diego Souza na dividida e o árbitro, com a ajuda do VAR, aplicou o cartão vermelho ao argentino.
A partir daí, buscar a reação parecia uma epopeia para o Colorado. Mas o árbitro de vídeo trouxe, instantes depois, a salvação: bola no braço de Cortez dentro da área e pênalti para o Inter. Na cobrança, aos 29mins, Vanderlei acertou o canto, mas Thiago Galhardo conseguiu tirar do alcance: 1 a 1. Foi o primeiro gol do Inter em Grenal em sete clássicos – o último, em julho de 2019, tinha sido de Paulo Miranda, contra.
Aos 36mins, Cortez, que já tinha amarelo, fez dividida forte na frente e acabou expulso. Com equilíbrio numérico, os últimos minutos foram uma mistura de iniciativa e cautela: ninguém queria deixar de tentar a vitória, mas também não era caso de correr o risco de derrota.
ESCALAÇÕES
GRÊMIO (1) - Vanderlei; Orejuela, Paulo Miranda, David Braz e Cortez; Lucas Silva (Diogo Barbosa), Matheus Henrique e Darlan (Luiz Fernando); Alisson (Robinho), Diego Souza (Guilherme Azevedo) e Pepê. Técnico: Renato Portaluppi.
INTER (1) - Marcelo Lomba; Heitor, Rodrigo Moledo, Cuesta e Uendel; Musto, Edenilson, Patrick e Boschilia (William Pottker); Thiago Galhardo e Abel Hernández (D’Alessandro). Técnico: Eduardo Coudet.
Árbitro: Raphael Claus (SP).
Comentários CORRIGIR TEXTO