Porto Alegre, sexta-feira, 02 de outubro de 2020.
Dia Internacional do Notário.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 02 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Futebol Internacional

- Publicada em 18h08min, 02/10/2020.

Fifa cria exceções que desobrigam clubes de liberar atletas às seleções

Técnicos podem chamar até 30 jogadores; Tite optou por convocar os tradicionais 23

Técnicos podem chamar até 30 jogadores; Tite optou por convocar os tradicionais 23


LUCAS FIGUEIREDO/CBF/JC
O Conselho da Fifa criou algumas exceções à regra que obriga os clubes a cederem seus jogadores para seleções em datas oficiais da entidade máxima que comanda o futebol. O período de validade da medida vai até o final de 2020. Com isso, inclui as quatro primeiras rodadas das eliminatórias sul-americanas.
O Conselho da Fifa criou algumas exceções à regra que obriga os clubes a cederem seus jogadores para seleções em datas oficiais da entidade máxima que comanda o futebol. O período de validade da medida vai até o final de 2020. Com isso, inclui as quatro primeiras rodadas das eliminatórias sul-americanas.
Regras semelhantes foram adotadas em setembro, em partidas das seleções europeias, com o objetivo de minimizar os impactos causados pela pandemia do novo coronavírus, que fez alguns países restringirem a entrada de estrangeiros ou imporem uma quarentena obrigatória.
Segundo o comunicado publicado no site da Fifa, os clubes não são obrigados a ceder seus jogadores em três situações:
  • Caso seja previsto um período obrigatório de quarentena ou autoisolamento de pelo menos cinco dias após a chegada na localização do clube que tem a obrigação de liberar o atleta ou o no local onde um jogo da seleção está previsto ocorrer;
  • Restrição de viagem de ou para qualquer local envolvido na situação anterior;
  • Nenhuma isenção específica das autoridades relevantes em relação às decisões acima for concedida aos jogadores de uma seleção.
Em nota, a entidade máxima do futebol reafirma que a obrigatoriedade dos clubes em cederem os seus jogadores permanece caso nenhuma das exceções citadas se encaixe aos jogadores convocados.
No protocolo criado pela Fifa não há um mínimo de jogadores saudáveis para que cada seleção possa entrar em campo, situação prevista nos protocolos da Uefa e da CBF, que exigem 13 atletas. A entidade máxima do futebol, contudo, aconselha a "ampliar o plantel de jogadores disponíveis enquanto estiverem em vigor as restrições relativas à pandemia de Covid-19".
No caso da seleção brasileira, o técnico Tite convocou 23 jogadores, como faz em praticamente todas as suas listas. Já as rivais sul-americanas, em sua maioria, chamaram 30 ou mais atletas.
Todos os convocados devem se apresentar na próxima segunda-feira (5). O Brasil estreia no dia 9, contra a Bolívia, em São Paulo, e depois viaja para enfrentar o Peru, em Lima.
Comentários CORRIGIR TEXTO