Porto Alegre, sábado, 03 de outubro de 2020.
Dia do Petróleo Brasileiro. Dia Mundial do Dentista.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 03 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Libertadores da América

- Publicada em 06h27min, 29/09/2020. Atualizada em 10h57min, 03/10/2020.

Grenal 427 - Libertadores: Onde estava a torcida de Inter e Grêmio?

Policial recomenda que torcedores Lucas Antônio e Ariadne assistam em casa ao jogo

Policial recomenda que torcedores Lucas Antônio e Ariadne assistam em casa ao jogo


PATRÍCIA COMUNELLO/ESPECIAL/JC/
Patrícia Comunello
O futebol está sem torcida presencial, mas os estádios não saem da vida dos torcedores, nem que seja para arriscar uma espiada no entorno, para depois terminar a sessão do clássico em frente à TV ou do celular. Foi assim no Grenal 427, pela Libertadores, e deve ter repeteco no sexto clássico de Grêmio e Inter no ano, neste sábado (3), pelo Campeonato Brasileiro.
O futebol está sem torcida presencial, mas os estádios não saem da vida dos torcedores, nem que seja para arriscar uma espiada no entorno, para depois terminar a sessão do clássico em frente à TV ou do celular. Foi assim no Grenal 427, pela Libertadores, e deve ter repeteco no sexto clássico de Grêmio e Inter no ano, neste sábado (3), pelo Campeonato Brasileiro.
A reportagem do Jornal do Comércio acompanhou o Grenal 427, no dia 23, do lado de fora do Beira-Rio e flagrou a paixão pelos clubes, até de quem normalmente, sem pandemia, não se manifestaria. 
"Sinto falta da muvuca do torcedor, do cheirinho do churrasquinho, dos gritos dos ambulante", admite a colorada e agente de trânsito em Porto Alegre Sheila Azevedo, escalada para trabalhar.   

VÍDEO: Do entorno do Beira-Rio ao sofá de casa, de olho no Grenal 427  

Colega de Sheila, o gremista Felipe Grimaldi lembrou que, no primeiro Grenal da Libertadores, em 12 de março e com oito expulsos, teve torcida na Arena: "É um Grenal histórico da Libertadores, é uma pena não ter os torcedores como tivemos na Arena", ressente-se. "Mas, de certa forma, fica facilitada nossa missão, né Sheila", devolve Grimaldi.
No dia 3 de outubro, novo clássico, desta vez pelo Campeonato Brasileiro, será travado na Arena, casa do Tricolor, e, de novo, os agentes poderão ter de trabalhar. 
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/09/29/206x137/1_grenal_427_agentes_transito_torcedores_jornal_do_comercio-9150662.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5f72a5a698fbb', 'cd_midia':9150662, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/09/29/grenal_427_agentes_transito_torcedores_jornal_do_comercio-9150662.jpg', 'ds_midia': 'Grenal 427 - Estádio Beira-Rio com torcedores e vigilância do estádio em Porto Alegre - Copa Libertadores - agentes de trânsito da EPTC Sheila Azevedo e Felioe Grimaldi ', 'ds_midia_credi': 'PATRICIA COMUNELLO/ESPECIAL/JC', 'ds_midia_titlo': 'Grenal 427 - Estádio Beira-Rio com torcedores e vigilância do estádio em Porto Alegre - Copa Libertadores - agentes de trânsito da EPTC Sheila Azevedo e Felioe Grimaldi ', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '600', 'align': 'Left'}
Sheila, colorada, e Grimaldi, gremista, têm menos trabalho, mas sentem falta da muvuca de dia de jogo
E o que dizer dos torcedores?
Os primos Lucas Antônio, administrador, e Ariadne Oliveira, profissional de Educação Física, tentaram despistar a Guarda Municipal e Brigada Militar para chegar ao portão por onde o ônibus do Inter entraria no pátio do estádio, com bloqueio em todos os acessos. 
"A gente veio com a taça recepcionar o ônibus e fomos abordados pela BM, pois não poderíamos ir onde estavam outros torcedores. Só queríamos mostrar nosso amor e a taça", diz Lucas, que não escondia a frustração. "Já que não conseguimos chegar perto, que o Inter ganhe finalmente um Grenal", torcia Ariadne, que deu meia-volta e se dirigiu com o primo para casa onde torceriam sentados no sofá. A vitória, tão acalentada, acabaria não vindo.
"Trago a taça em todos os jogos da Libertadores desde 2010. espero que, na Copa atual, deixe ela de vez no Beira-Rio", projeta o administrador. Da tentativa de chegar perto - outros colorados conseguiram e fizeram puxaram cânticos na chegada do time de Eduardo Coudet -, os primos acabaram tendo de prestar esclarecimentos, mostrar documentos e ouvir do soldado da BM Tiago Vieira um conselho:
"No momento, não pode torcer presencialmente, mas em casa, no conforto do lar, está autorizado". O soldado, questionado sobre o seu time do coração, disse que era "torcedor": 
"Agora temos de torcer contra o vírus (novo coronavírus) para passar esta fase e conseguirmos a vitória para a vida".
Ali mesmo, uma hora e meia antes do jogo, que começaria às 21h30min, o repórter da rádio Grenal Bruno Soares tentava transmitir a única muvuca possível, de poucos torcedores. "A gente faz uma cobertura diferente, porque não acessamos o estádio, mas vamos estar atentos a todos os detalhes", assegura o repórter., que rende-se: 
"Torcida no estádio é emoção. Futebol a gente faz para a torcida. A gente espera que dentro de campo os jogadores corram muito para representar os torcedores".  
Enquanto Soares não tinha credencial para entrar, o fotógrafo Alexandre Schneider da agência Getty Images, chegou puxando uma mala com rodinhas, guarnecendo seu equipamento. "Para conseguir estar aqui, fiz o teste da Covid-19 de RT-PCR, que deu negativo. Achava até que já tinha pego o vírus, porque estou sempre viajando para cobrir campeonatos", conta o fotógrafo. 
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/09/29/206x137/1_grenal_427_imprensa_fotografo_jornal_do_comercio-9150711.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5f72ae5257834', 'cd_midia':9150711, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/09/29/grenal_427_imprensa_fotografo_jornal_do_comercio-9150711.jpg', 'ds_midia': 'Grenal 427 - Estádio Beira-Rio com torcedores e vigilância do estádio em Porto Alegre - Copa Libertadores - fotógrafo Alexandre schneider agência Getty Images ', 'ds_midia_credi': 'PATRICIA COMUNELLO/ESPECIAL/JC', 'ds_midia_titlo': 'Grenal 427 - Estádio Beira-Rio com torcedores e vigilância do estádio em Porto Alegre - Copa Libertadores - fotógrafo Alexandre schneider agência Getty Images ', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '600', 'align': 'Left'}
Schneider, que entrou no Beira-Rio: 'O caldeirão que se forma com estádio lotado dá uma adrenalina'      
Schneider diz que jogo sem torcida "é muito estranho, muito estranho". "O futebol perde a magia. O caldeirão que se forma com estádio lotado dá uma adrenalina, isso afeta nosso trabalho também", garante Schneider, que mora em São Paulo e trabalhounas últimas duasCopas do Mundo e é veterano de cobertura de Libertadores e competições nacionais.
"A torcida é o 12º jogador", lembra o comerciante aposentado e colorado Arno Costamilan.            
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/09/29/206x137/1_grenal_427_torcedor_comerciante_jornal_do_comercio-9150676.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5f72a6e4a15f3', 'cd_midia':9150676, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/09/29/grenal_427_torcedor_comerciante_jornal_do_comercio-9150676.jpg', 'ds_midia': 'Grenal 427 - Estádio Beira-Rio com torcedores e vigilância do estádio em Porto Alegre - Copa Libertadores - torcedor Arno Costamilan - colorado torcedor do Inter', 'ds_midia_credi': 'PATRICIA COMUNELLO/ESPECIAL/JC', 'ds_midia_titlo': 'Grenal 427 - Estádio Beira-Rio com torcedores e vigilância do estádio em Porto Alegre - Copa Libertadores - torcedor Arno Costamilan - colorado torcedor do Inter', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '600', 'align': 'Left'}
Comerciante foi matar a saudade do beira-Rio, antes de assistir ao jogo pela TV, em casa
"Já tinha feito check-in para este jogo lá em março. A esta hora, 19h30min, estaria lotado aqui na frente", recorda o comerciante, que foi dar uma caminhada com a mulher Cecília e, claro, fez questão de incluir o Beira-Rio no roteiro.
"Vim matar a saudade. Agora vou para casa assistir à partida", avisou, apressando o passo, para chegar logo na residência no bairro Azenha.
Uma hora depois quem aportou na calçada da Padre Cacique foi o comerciante Aldemir Chaves, as duas filhas e a esposa. "Queria entrar no estádio, vim de Curitiba. Agora vamos voltar ao hotel e assistir de lá", consola-se Chaves.   
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/09/29/206x137/1_grenal_427_torcedores_curritiba_fora_estadio_jornal_do_comercio-9150690.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5f72aaca5ab59', 'cd_midia':9150690, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/09/29/grenal_427_torcedores_curritiba_fora_estadio_jornal_do_comercio-9150690.jpg', 'ds_midia': 'Grenal 427 - Estádio Beira-Rio com torcedores e vigilância do estádio em Porto Alegre - Copa Libertadores - família de Curitiba - comerciante Aldemir Chaves e filhas e mulher', 'ds_midia_credi': 'PATRICIA COMUNELLO/ESPECIAL/JC', 'ds_midia_titlo': 'Grenal 427 - Estádio Beira-Rio com torcedores e vigilância do estádio em Porto Alegre - Copa Libertadores - família de Curitiba - comerciante Aldemir Chaves e filhas e mulher', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '600', 'align': 'Left'}
Família Chaves chegou de Curitiba e foi para a área do estádio, mas viu o jogo pela TV do hotel 
"Mesmo só chegando perto (estádio) já arrepia", confessa o comerciante. A família Chaves acabou encontrando os primos barrados pela BM e aproveitaram para tirar uma selfie com a réplica da taça. A mini aglomeração empolgada foi saudada pelo som de buzinas dos veículos que cruzavam a avenida. 
O agente de fiscalização da prefeitura Paulo Azambuja e o colega Bruno Bampi já estavam longe. Os dois tinham uma missão antipática, aos olhos de quem tentasse assistir ao jogo no entorno. "Se um bar ligar uma TV e gerar aglomeração vai ser autuado", avisou Azambuja.
Mas antes de retomar a ronda com o colega, na calçada da Padre Cacique, em frente ao templo Colorado, o agente revelou: "Sou colorado, é muito triste ver isso tudo aqui vazio." A camisa polo vermelha, sob o colete de trabalho, não foi mera coincidência.  
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/09/29/206x137/1_grenal_427_fiscais_prefeitura__ronda_estadio_beira_rio_jornal_do_comercio-9150704.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5f72ad30d9e05', 'cd_midia':9150704, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/09/29/grenal_427_fiscais_prefeitura__ronda_estadio_beira_rio_jornal_do_comercio-9150704.jpg', 'ds_midia': 'Grenal 427 - Estádio Beira-Rio com torcedores e vigilância do estádio em Porto Alegre - Copa Libertadores - fiscais prefeitura - (esquerda) Bruno bampi e Paulo Azambuja (direita0', 'ds_midia_credi': 'PATRICIA COMUNELLO/ESPECIAL/JC', 'ds_midia_titlo': 'Grenal 427 - Estádio Beira-Rio com torcedores e vigilância do estádio em Porto Alegre - Copa Libertadores - fiscais prefeitura - (esquerda) Bruno bampi e Paulo Azambuja (direita0', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '600', 'align': 'Left'}
Azambuja (à direita) estava de olho em aglomerações, mas confidenciou: 'É muito triste ver isso tudo vazio'  
Duzentos metros dali, no posto de combustível em frente ao estádio, o frentista Reger Dutra e os colegas já circundavam um nicho na lateral das bombas de abastecimento. Minutos antes do apito dentro do estádio, eles já acompanhavam a transmissão do SBT, em TV aberta, pela telinha do smartphone.
O som alto das vozes dos locutores se misturava ao barulho de apitos e vozes que vazava do cenário real do jogo. 
"Quando der gol, vamos saber antes mesmo do locutor anunciar na televisão, porque as luzes externas do estádio se acendem", conta o frentista, que, em dias normais de jogos com o fluxo da torcida, estaria guardando carros que tomam conta dos espaços do posto. "A gente fecha as bombas e fica cuidando para não ter arranhão em veículos", explica.
"Agora está tudo vazio, mas assim podemos assistir ao jogo", comemora, soltando uma gargalhada. 
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/09/29/206x137/1_grenal_427_torcedores_frentistas_assistem_no_celular_jornal_do_comercio-9150697.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5f72ab1a9dded', 'cd_midia':9150697, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/09/29/grenal_427_torcedores_frentistas_assistem_no_celular_jornal_do_comercio-9150697.jpg', 'ds_midia': 'Grenal 427 - Estádio Beira-Rio com torcedores e vigilância do estádio em Porto Alegre - Copa Libertadores - frentistas assistem  ao jogo no posto de combustíveis em frente ao estádio (direita em pé) Reger Dutra', 'ds_midia_credi': 'PATRICIA COMUNELLO/ESPECIAL/JC', 'ds_midia_titlo': 'Grenal 427 - Estádio Beira-Rio com torcedores e vigilância do estádio em Porto Alegre - Copa Libertadores - frentistas assistem  ao jogo no posto de combustíveis em frente ao estádio (direita em pé) Reger Dutra', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '600', 'align': 'Left'}
Dutra (à direita, de costas) assistiu à partida pelas imagens no celular; sem pandemia estaria trabalhando   
O trio de colorados, sentado em frente ao pedestal onde o celular é instalado, ganha a companhia de um quarto frentista, que já chega provocando: "O Grêmio vai ganhar por 2 a 0".
"Não, o Tricolor vai marcar primeiro, o Inter vai empatar e depois fará o segundo, liquidando a partida por 2 a 1", previu Reger, que foi derrotado, pois Pepê marcaria o gol da vitória tricolor.
"Para a BM, facilita um pouco não ter a torcida", atestou o major Daniel Araújo, comandante da 1ª Companhia de Choque, Mesmo sem confusão e pouca movimentação, a corporação levou efetivo de peso, com companhia de Choque, batalhão da região, cães farejadores, motos e cavalaria. 
Araújo justifica que a inteligência da BM apurou que torcidas poderiam protestar na área. A segurança também é acertada em conversas com os clubes e a Conmebol. "Nossa preparação é para o pior cenário."   

Do estádio para a sala de casa

Da frente do estádio à sala de estar de casa, acomodado no sofá, com direito a petiscos e uma cervejinha. Foi assim que o engenheiro civil Matheus Bier deu início à sessão da noite de quarta-feira ligado na TV e no clássico, na residência da família no bairro Auxiliadora.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/09/29/206x137/1_grenal_427_torcida_fora_estadios_gremista_jornal_do_comercio-9150725.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5f72af11a94f1', 'cd_midia':9150725, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/09/29/grenal_427_torcida_fora_estadios_gremista_jornal_do_comercio-9150725.jpg', 'ds_midia': 'Grenal 427 - Torcedor do Grêmio  Matheus Bier, assiste em casa ao jogo e comemora vitória sobre o Inter', 'ds_midia_credi': 'PATRICIA COMUNELLO/ESPECIAL/JC', 'ds_midia_titlo': 'Grenal 427 - Torcedor do Grêmio  Matheus Bier, assiste em casa ao jogo e comemora vitória sobre o Inter', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '593', 'align': 'Left'}
Bier começou o jogo com petiscos e cervejinha e terminou provocando o rival com a vitória 
"O Grêmio não vem de boa fase, se empatar já sai no lucro", analisou Bier.
Longe de Bier, André Gonçalves com o filho Lorenzo, no bairro Santana, estavam mega empolgados na largada. "É o novo jeito de torcer na pandemia, na frente da televisão", resume Gonçalves. 
No intervalo do primeiro para o segundo tempo, Bier elevou a confiança no time de Renato Portaluppi e já considerava que um gol seria merecido pelo desempenho do grupo. 
O clima era outro na casa de Gonçalves. Lorenzo era o mais decepcionado com a desenvoltura em campo. Aos 10 anos, o garoto indicou os problemas do Colorado. Crente que o jogo poderia mudar a favor do Inter, o garotinho revelou o segredo da esperança: 
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/09/29/206x137/1_grenal_427_torcida_fora_estadios_colorados_jornal_do_comercio-9150731.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5f72af4ae1818', 'cd_midia':9150731, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/09/29/grenal_427_torcida_fora_estadios_colorados_jornal_do_comercio-9150731.jpg', 'ds_midia': 'Grenal 427 - Torcedores do Inter - André Gonçalves com o filho Lorenzo  - assistem em casa ao jogo e derrota para o Grêmio', 'ds_midia_credi': 'PATRICIA COMUNELLO/ESPECIAL/JC', 'ds_midia_titlo': 'Grenal 427 - Torcedores do Inter - André Gonçalves com o filho Lorenzo  - assistem em casa ao jogo e derrota para o Grêmio', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '400', 'align': 'Left'}
Lorenzo com o pai não escondia a decepção, mesmo contando com a força da 'água abençoada'
"Tomei bastante água abençoada", garantiu. "Água abençoada da Igreja filho", confirmou o pai.
Fim de Grenal, Bier não resistiu em tirar uma casquinha:
"É sempre bom ganhar, ainda mais do nosso rival."  
Para o clássico de sábado, na Arena, a mesma agitação é esperada. Como é na Arena, pai e filho não iriam, mesmo que a torcida fosse liberada, o que ainda não tem previsão. 
Já Bier, que é sócio do Grêmio e tem entrada liberada, vai repetir a torcida, sentado no sofá da sala, com petiscos e cervejinha.   
Comentários CORRIGIR TEXTO