Porto Alegre, sábado, 19 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 19 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Campeonato Brasileiro

- Publicada em 09h20min, 19/09/2020. Atualizada em 09h32min, 19/09/2020.

Um a cada 10 gols no Brasileirão tem o carimbo da 'Lei do Ex'

Galhardo foi o jogador que mais castigou um clube no qual vestiu a camisa

Galhardo foi o jogador que mais castigou um clube no qual vestiu a camisa


RICARDO DUARTE/INTER/JC
O torcedor supersticioso acredita em rituais e coincidências que, na sua cabeça, fazem todo o sentido na hora de determinar o sucesso ou o fracasso do time de coração. Entre tantas crenças, há uma que causa pavor nos mais desconfiados. É a chamada "Lei do Ex", esse código não escrito do futebol que rege, por vezes, a história de uma partida, sempre a favor do adversário, segundo os descrentes.
O torcedor supersticioso acredita em rituais e coincidências que, na sua cabeça, fazem todo o sentido na hora de determinar o sucesso ou o fracasso do time de coração. Entre tantas crenças, há uma que causa pavor nos mais desconfiados. É a chamada "Lei do Ex", esse código não escrito do futebol que rege, por vezes, a história de uma partida, sempre a favor do adversário, segundo os descrentes.
Brincadeiras e superstições à parte, a tal "lei" tem sua influência dentro do Campeonato Brasileiro. Levantamento mostra que a cada dez gols que saíram na atual competição, um foi marcado por um jogador diante de um ex-clube.
Em 96 partidas disputadas até aqui, foram anotados 228 gols. Desses, 32 (14%) contaram com o carimbo da "Lei do Ex". O levantamento considera tanto jogadores que chegaram a atuar profissionalmente como também atletas apenas formados na base dos clubes contra os quais marcaram no torneio.
Se considerados somente os gols de quem defendeu profissionalmente uma ex-equipe, são 25 do total de 228 -11%, mantendo a conta de um gol para cada dez anotados no Brasileiro.
Artilheiro da competição, o meia-atacante Thiago Galhardo, do Inter, é também o jogador que mais vezes puniu times que defendeu em algum outro momento da carreira. Dos oito gols que tem no campeonato, três foram contra ex-equipes: um contra o Botafogo e dois diante do Ceará.
O clube cearense, inclusive, é quem mais sofreu com esse estigma até aqui na disputa do Nacional. Já são cinco gols de atletas que tiveram passagem pela equipe no passado. Além dos dois de Galhardo, o centroavante Elton, do Sport, também marcou duas vezes, e Felipe Jonatan, lateral esquerdo do Santos, anotou um.
O Vasco vem logo na sequência com quatro. Fluminense, Goiás e Botafogo sofreram três. Na 2ª rodada do Brasileiro, duas partidas tiveram a curiosidade de que ambos os clubes levaram gols de ex-jogadores.
No caso de Thiago Galhardo, ele havia dito antes da partida contra o Ceará que não celebraria caso marcasse diante da ex-equipe. Em 2019, teve boa passagem pelo time alvinegro e marcou 12 gols no Brasileirão, ajudando os cearenses a se manterem na elite nacional.
Em um dos gols anotados na vitória colorada por 2 a 0, no último dia 10, o artilheiro colorado apenas se dirigiu a uma câmera e deu um recado em Libras (Língua Brasileira de Sinais). Foi uma homenagem a Liliana Kruger, torcedora do Inter que é surda. Na mensagem, Galhardo disse com gestos: "Vamos, Inter! Eu te amo".
Neste domingo (20), o Grêmio recebe o Palmeiras, em Porto Alegre. Diego Souza defendeu o clube alviverde entre 2008 e 2010. Para o torcedor palmeirense supersticioso com os perigos da Lei do Ex, é bom ficar de olho.
Comentários CORRIGIR TEXTO