Porto Alegre, quinta-feira, 19 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Saúde

Notícia da edição impressa de 19/03/2020. Alterada em 18/03 às 20h29min

Suspensão de atividades por clubes da Capital atinge atletas

Almir Júnior, do salto triplo, é um dos afetados em Porto Alegre

Almir Júnior, do salto triplo, é um dos afetados em Porto Alegre


/FOTOS WAGNER CARMO/DIVULGAÇÃO/JC
Deivison Ávila
Com a preparação dos atletas afetadas em todo o mundo, não seria diferente com competidores que estão se preparando em Porto Alegre. Evitando a contaminação e a propagação do coronavírus, o prefeito Nelson Marchezan Júnior emitiu um decreto, determinando que "fica vedado o funcionamento de academias, centros de treinamento, centros de ginástica, cinemas e clubes sociais, independentemente da aglomeração de pessoas." Com isso, clubes tradicionais da Capital estão com as atividades suspensas.
Com a preparação dos atletas afetadas em todo o mundo, não seria diferente com competidores que estão se preparando em Porto Alegre. Evitando a contaminação e a propagação do coronavírus, o prefeito Nelson Marchezan Júnior emitiu um decreto, determinando que "fica vedado o funcionamento de academias, centros de treinamento, centros de ginástica, cinemas e clubes sociais, independentemente da aglomeração de pessoas." Com isso, clubes tradicionais da Capital estão com as atividades suspensas.
Reconhecidos como formadores de atletas no Sul do País, a Sogipa e o Grêmio Náutico União estão com as suas atividades suspensas. Mesmo com essa indefinição na realização ou não das Olimpíadas de Tóquio, os atletas precisam manter os treinos físicos, visando ao rendimento em alto nível.
Para o técnico de Atletismo da Sogipa, José Haroldo Loureiro Gomes, o Arataca, a organização dos jogos japoneses persegue alguns itens e não abrirá mão facilmente da realização do evento. O fator econômico, os índices decrescentes dos casos de coronavírus no país, a realização dos jogos, mesmo sem a participação de alguns países, e a não possibilidade de transferência de uma olimpíada, o que é definido no regulamento olímpico, são alguns fatores que fazem com que o COI e o Comitê Organizador mantenham a ideia de realizar o evento.
Quanto à preparação dos atletas, Arataca diz que tem uma posição forte sobre os treinos. Sem um local específico para trabalhar, o atletismo sogipano foi treinar em um parque e em uma academia particular na casa de um amigo. "Caso realmente tiver a olimpíada, a gente precisará de muita criatividade para manter o nível de treinamento, o que não será possível. Vamos tentar perder o mínimo possível de condicionamento", revela. Um dos principais atletas do clube com reais chances de medalha em Tóquio é Almir Júnior, do salto triplo, que já alcançou índice para estar no Japão, caso aconteçam os Jogos.