Porto Alegre, sexta-feira, 13 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Libertadores

12/03/2020 - 23h55min. Alterada em 13/03 às 11h29min

Grêmio e Inter ficam no empate em jogo com oito expulsões

Grenal inédito não foi além do empate em 0x0

Grenal inédito não foi além do empate em 0x0


Foto: Lucas Uebel / Grêmio / Divulgação / JC
Deivison Ávila
Uma partida que era para entrar na história pelo encontro de uma das maiores rivalidades da América do Sul, pela primeira vez na Libertadores, acabou em pancadaria, oito expulsões e um empate sem gols entre Grêmio e Inter.
Uma partida que era para entrar na história pelo encontro de uma das maiores rivalidades da América do Sul, pela primeira vez na Libertadores, acabou em pancadaria, oito expulsões e um empate sem gols entre Grêmio e Inter.
A Arena recebeu 53.389 torcedores que presenciaram um bom enfrentamento no Grenal 424, mas que foi ofuscado por uma briga generalizada que parou a partida por 12 minutos. No final, o resultado deixou o Colorado na liderança do Grupo E, com o Tricolor com o mesmo número de pontos, perdendo apenas pelo saldo de gols.
O Grenal começou com todos os tradicionais ingredientes de um clássico. Logo aos dois minutos, após uma falta de Boschilia em Lucas Silva, teve empurra-empurra e bate-boca no centro do gramado. Logo em seguida, dois minutos depois, após cobrança de escanteio de Alisson, Geromel subiu mais alto e cabeceou no cantinho direito, forçando Lomba a fazer boa defesa.
A resposta colorada veio aos 12. Edenilson pegou rebote depois de uma cobrança de escanteio e arriscou de longe. Vanderlei espalmou para a linha de fundo.
O minutos seguintes foi de calmaria, om os dois times trocando passes e se analisando. O resultado parecia agradar ambos. Aos 32, a melhor chance até então. Guerrero tocou para Boschilia que saiu na cara de Vanderlei. Só que o meia-atacante colorado deu uma cavadinha e chutou para fora.Quatro minutos depois, Musto errou um passe atrás e provocou um ótimo ataque para o Grêmio, mas Everton foi travado na hora do chute.
Aos 43, foi a vez do Colorado assustar a torcida gremista. Em contra-ataque rápido, Marcos Guilherme avançou pela esquerda e serviu Boschilia. Na hora do arremate, Maicon travou o lance e salvou os donos da casa. Ao final da primeira etapa, os visitantes acabaram com 55% de posse de bola, contra 45% do Tricolor.

Oito expulsões em um Grenal para ser esquecido

O segundo tempo começou com bem menos intensidade que os 45 minutos iniciais. Logo aos seis minutos, Maicon sentiu uma lesão muscular e acabou sendo substituído por Jean Pyerre. Antes de a bola voltar a rolar, Moisés entrou na vaga de Uendel, no Colorado. Sem muitos lances agudas, a primeira chegada do Grêmio saiu ao 18 minutos, com um chute de longe de Jean Pyerre para uma defesa de Lomba em dois tempos.
Aos 23, o Colorado, após uma longa troca de passes, acertou a trave gremista. A bola sobrou para Edenilson, da intermediária, ele posicionou o corpo e deu um belo chute que parou no poste esquerdo do gol defendido por Vanderlei. A resposta veio com o veloz Pepê. Ele saiu da direita, passando por toda defesa colorada e chutando com perigo. Lomba, atento, defendeu.
E a bola continuou insistindo em mão entrar. Aos 34, após ótimo toque de Guerrero, Boschilia saiu na cara de Vanderlei. Ele fez tudo certo, mas a bola explodiu mais uma vez no poste esquerdo. O Grêmio quase tirou o zero do placar após um passe errado, bizarro, de Fuchs. A bola sobrou para Luciano, que tentou uma cavadinha, e a bola foi para fora.
Agora, os minutos finais foram melancólicos, tristes, para a história da dupla Grenal. Depois de uma confusão no lado direito de ataque do Grêmio, Moisés e Pepê trocaram empurrões e encaradas, dando início a uma briga generalizada. Ambos acabaram expulsos.
Edenilson e Luciano também foram vermelhados. Os técnicos tentaram afastar os atletas, em vão. Após nova confusão, Cuesta e Caio Henrique seguiram o mesmo caminho dos demais: o vestiário. Do banco de reservas, Praxedes, do lado do Inter, e Paulo Miranda, do Grêmio, também receberam o cartão vermelho.
Nos acréscimos, sem seis jogadores em campo, os espaços se abriram e o Grêmio quase marcou em dois lances. No primeiro, Geromel chutou de fora da área e a bola passou muito perto. Em seguida, Lucas Silva também arriscou de longe e acertou o travessão. O apito final foi o último ato de um Grenal para ser esquecido, mas será lembrado pelo vexame dos jogadores.
Grêmio 0 x 0 Inter
Vanderlei, Victor Ferraz, Geromel, David Braz e Caio Henrique; Lucas Sliva, Maicon (Jean Pyerre) e Mattheus Henrique, Alisson (Pepê) e Everton; Diego Souza (Luciano). Técnico: Renato Portaluppi.
Marcelo Lomba; Rodinei, Bruno Fuchs, Cuesta e Uendel (Moisés); Musto, Marcos Guilherme, Edenilson e Boschilia; Thiago Galhardo (D’Alessandro) e Guerrero (Lindoso). Técnico: Eduardo Coudet. 
Árbitro: Fernando Rapallini (ARG)