Porto Alegre, segunda-feira, 09 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Saúde

09/03/2020 - 12h53min. Alterada em 09/03 às 14h31min

Cerimônia de acendimento da tocha será sem público por temor ao coronavírus

Ausência de público na cerimônia não ocorre desde 1984, no evento para a Olimpíada de Los Angeles

Ausência de público na cerimônia não ocorre desde 1984, no evento para a Olimpíada de Los Angeles


CHARLY TRIBALLEAU/AFP/JC
A cerimônia de acendimento da tocha olímpica para os Jogos de Tóquio ocorrerá sem a presença de público em Olímpia Antiga. A decisão foi tomada pelos organizadores do evento, que decidiram adotar medidas mais rígidas para proteção contra o coronavírus.
A cerimônia de acendimento da tocha olímpica para os Jogos de Tóquio ocorrerá sem a presença de público em Olímpia Antiga. A decisão foi tomada pelos organizadores do evento, que decidiram adotar medidas mais rígidas para proteção contra o coronavírus.
Nesta segunda-feira (9), o Comitê Olímpico da Grécia anunciou que não haverá a presença de público no local na quarta-feira (11), quando será realizado o ensaio, e também na quinta, data em que ocorrerá o acendimento da tocha olímpica.
A ausência de público na cerimônia não ocorre desde o evento para a Olimpíada de Los Angeles, em 1984. "A cerimônia de acendimento da chama olímpica será realizada sem a presença de espectadores, com apenas 100 convidados e credenciados. O ensaio geral de 11 de março será fechado para espectadores e imprensa", afirmou o comitê grego.
A Grécia anunciou no domingo (8) uma proibição de duas semanas para eventos esportivos com espectadores e em excursões escolares, com o o número de casos de coronavírus aumentando de sete para 73. A região da qual Olímpia faz parte está entre as áreas mais atingidas pelo coronavírus.
Por isso, o seu prefeito havia escrito uma carta a Thomas Bach, presidente do COI, solicitando o adiamento da cerimônia até maio. Agora, então, se decidiu pela realização sem a presença de público.
Após a tocha ser acesa em Olímpia Antiga, será realizado pela Grécia uma revezamento de sete dias, antes da sua entrega aos organizadores da próxima edição dos Jogos.