Porto Alegre, terça-feira, 18 de fevereiro de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Investigação

14/02/2020 - 14h02min. Alterada em 14/02 às 17h09min

CPI que apura incêndio no Ninho do Urubu ouve dirigentes do Flamengo

Presidente do Clube de Regatas do Flamengo, Rodolfo Landim, foi convocado, mas não compareceu

Presidente do Clube de Regatas do Flamengo, Rodolfo Landim, foi convocado, mas não compareceu


TOMAZ SILVA/AGÊNCIA BRASIL/JC
Agência Brasil
Dirigentes do Flamengo são ouvidos hoje (14) na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga o incêndio no Ninho do Urubu da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). O presidente do Clube de Regatas do Flamengo, Rodolfo Landim, foi convocado, mas não compareceu. Ele já havia faltado à primeira reunião da CPI, no dia 7 deste mês.
Dirigentes do Flamengo são ouvidos hoje (14) na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga o incêndio no Ninho do Urubu da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). O presidente do Clube de Regatas do Flamengo, Rodolfo Landim, foi convocado, mas não compareceu. Ele já havia faltado à primeira reunião da CPI, no dia 7 deste mês.
Em seu lugar, Landim enviou o vice-presidente jurídico do clube, Rodrigo Dunshee. Também serão ouvidos nesta sexta-feira o CEO (dirigente executivo) do Flamengo, Reinaldo Belotti, além de outros dirigentes e engenheiros do clube, representantes da NHJ, empresa dos contêineres, da prefeitura do Rio e da Light, além de familiares das vítimas.
Esta é a segunda reunião da CPI que apura o incêndio, ocorrido há um ano, que consumiu o alojamento, dentro de um contêiner. Na tragédia,  morreram 10 adolescentes das categorias de base do clube e três ficaram feridos.
A reunião começou no fim da manhã com o depoimento do ex-CEO do Flamengo Fred Luz na gestão do presidente Eduardo Bandeira de Mello. Fred Luz disse que os diretores da área técnica do Flamengo lhe informaram que os contêineres eram ?perfeitamente adequados? para o alojamento dos atletas.
Na primeira reunião da CPI, o ex-presidente Bandeira de Mello negou responsabilidade sobre as mortes. Ele foi indiciado em inquérito da Polícia Civil como um dos responsáveis pela tragédia.