Porto Alegre, terça-feira, 18 de fevereiro de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Futebol

Notícia da edição impressa de 12/02/2020. Alterada em 12/02 às 14h41min

Projeto resgata o futebol do Interior gaúcho

Juliano Rosso está à frente da ideia ao lado da produtora d.marin

Juliano Rosso está à frente da ideia ao lado da produtora d.marin


/NÍCOLAS CHIDEM/JC
Deivison Ávila
Resgatar o passado, os fatos marcantes, os presidentes, os títulos e as histórias pitorescas. Este é o intuito do projeto Futebol Gaúcho: a história dos Gigantes do Sul. A ideia é do historiador Juliano Rosso, e o primeiro livro já está aprovado pela Lei de Incentivo à Cultura. Nos últimos dois anos, o professor, natural de Passo Fundo, visitou todos os clubes da 1ª, da 2ª e da 3ª divisão do Rio Grande do Sul.
Resgatar o passado, os fatos marcantes, os presidentes, os títulos e as histórias pitorescas. Este é o intuito do projeto Futebol Gaúcho: a história dos Gigantes do Sul. A ideia é do historiador Juliano Rosso, e o primeiro livro já está aprovado pela Lei de Incentivo à Cultura. Nos últimos dois anos, o professor, natural de Passo Fundo, visitou todos os clubes da 1ª, da 2ª e da 3ª divisão do Rio Grande do Sul.
A partir destes encontros, Rosso percebeu que a maioria das instituições não possuem publicações consistentes resgatando suas histórias. "Há uma lacuna, um vazio no que diz respeito ao resgaste da história dos clubes. Tem muita coisa boa e interessantes que precisa ser documentada. Não podemos deixar a história do futebol do interior do Estado se perder e precisamos fortalecer esses clubes", explica.
A ideia é um pouco audaciosa. Rosso planeja publicar dez livros, reunindo dez clubes em cada projeto. No entanto, para as publicações acontecerem é necessário o primeiro volume. A escolha dos primeiros clubes teve um critério básico: juntar times da mesma cidade para não aflorar os ânimos e as rivalidades locais. Inclusive com intuito de buscar patrocínios para viabilizar a publicação.
Rosso, que é ex-deputado estadual, lembra que qualquer empresa pode se engajar no projeto, ainda mais que a Lei de Incentivo à Cultura permite que os empresários utilizem 4% do lucro real em projetos culturais, tendo a sua marca estampada em todas as publicações.
A primeira leva reunirá dez clubes, com um livro contando a história de cada time. Serão 200 páginas exclusivas para contar os principais momentos das instituições. "Serão 2 mil páginas de resgate do futebol do Interior. Nos últimos dois meses, visitei todas as equipes que entrarão neste primeiro projeto. Até agora, só falta o OK de dois clubes", conta Rosso.
Os primeiros escolhidos são Grêmio Esportivo Bagé e Guarany Futebol Clube (Bagé), Caxias e Juventude (Caxias do Sul), Esporte Clube Passo Fundo e Sport Clube Gaúcho (Passo Fundo), Esporte Clube Pelotas e Grêmio Esportivo Brasil (Pelotas), Clube Esportivo Aimoré (São Leopoldo) e Ypiranga (Erechim). As duas instituições que estão pendentes são o Juventude e o Ypiranga.
Ao lado do historiador está a empresa d.marin planejamento cultural, de Passo Fundo, responsável pela organização de iniciativas de artistas e produtores culturais. Em cada cidade, será selecionado um historiador, um jornalista e um fotógrafo para a execução da obra.
Cada clube receberá 500 exemplares - 300 para serem distribuídos de acordo com a instituição, 100 exemplares para bibliotecas públicas locais e outros 100 para bibliotecas do Estado. Além disso, será feita uma palestra para o lançamento de cada livro. O projeto, agora, está no momento mais delicado, que é reunião dos patrocinadores e apoiadores, que deve ocorrer até junho.