Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 04 de fevereiro de 2020.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Libertadores da América

Edição impressa de 04/02/2020. Alterada em 03/02 às 20h54min

No Chile, Inter inicia luta por vaga no Grupo E

Eduardo Coudet tem seu primeiro grande desafio na temporada

Eduardo Coudet tem seu primeiro grande desafio na temporada


/RICARDO DUARTE/INTER/DIVULGAÇÃO/JC
Iniciar o ano direto com uma partida de mata-mata. Esse é o grande desafio do Inter em 2020. Como não conseguiu uma vaga direta na fase de grupos no ano passado, coube ao recém-chegado Eduardo Coudet, a missão de colocar o clube nesta etapa da Libertadores da América. E para isso, a equipe precisará passar por dois adversários. O primeiro enfrentamento será nesta terça-feira (4), às 18h, diante da Universidad de Chile, em Santiago. Caso avance, o Inter entra no Grupo E, onde estão os colombianos do América de Cáli, os chilenos do Universidad Católica e o maior rival, o Grêmio.
Iniciar o ano direto com uma partida de mata-mata. Esse é o grande desafio do Inter em 2020. Como não conseguiu uma vaga direta na fase de grupos no ano passado, coube ao recém-chegado Eduardo Coudet, a missão de colocar o clube nesta etapa da Libertadores da América. E para isso, a equipe precisará passar por dois adversários. O primeiro enfrentamento será nesta terça-feira (4), às 18h, diante da Universidad de Chile, em Santiago. Caso avance, o Inter entra no Grupo E, onde estão os colombianos do América de Cáli, os chilenos do Universidad Católica e o maior rival, o Grêmio.
Além de encarar um time forte, com camisa, o Inter tem o clima tenso que envolve a capital chilena. Há quatro meses, a cidade vive em colapso, com o povo nas ruas protestando contra algumas medidas tomadas pelo governo federal. E a violência e os confrontos envolvendo manifestantes e policiais chegou aos estádios. No ano passado, o campeonato nacional terminou com algumas rodadas pendentes. E, neste ano, um torcedor do Colo-Colo morreu atropelado por um caminhão da polícia.
Dentro deste contexto de medo, a partida foi antecipada em uma hora e quinze minutos para terminar à luz do dia. O Inter treinou na tarde desta segunda-feira (3) no CT da Universidad Católica. Coudet manteve alguns mistérios, principalmente em relação à formação do meio-campo. Musto, homem de confiança do treinador, deve ficar com uma das vagas. Lindoso, Thiago Galhardo e o recém-chegado Guilherme Boschilla brigam por uma chance.
A outra dúvida era Rodinei, que deixou o treino de sexta-feira passada com dores no tornozelo esquerdo. No entanto, ele foi visto em campo na atividade no Chile e vai estar entre os titulares. Desta forma, a estreia colorada no torneio pode ter Marcelo Lomba; Rodinei, Rodrigo Moledo, Cuesta e Moisés; Musto, Edenilson, Patrick e Galhardo (Lindoso ou Boschilia); D'Alessandro e Guerrero.
O zagueiro Cuesta comentou o início de ano já em uma fase decisiva do principal torneio continental. "Não é fácil começar já em um mata-mata, mas jogar a Libertadores é sempre bom e a gente quer entrar na fase de grupos", almeja o argentino, que falou ainda do momento de conflito vivido na capital chilena: "Precisamos focar no nosso trabalho. Sabemos da dificuldade desse jogo e também que o país passa por uma situação que não é agradável, mas isso não é com a gente", acrescentou. O duelo de volta será na próxima terça-feira, no Beira-Rio.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia