Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 08 de outubro de 2019.
Dia do Nordestino e dia Nacional do Combate a Cartéis.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

futebol feminino

Alterada em 08/10 às 17h56min

Em bela atuação, seleção brasileira feminina derrota a Polônia por 3 a 1

A seleção brasileira feminina de futebol obteve a segunda vitória consecutiva em solo europeu, nesta terça-feira, ao derrotar a Polônia, por 3 a 1, na Suzuki Arena, em Kielce (POL). No sábado, o time da técnica Pia Sundhage havia derrotado, por 2 a 1, a Inglaterra, quarta colocada no último Mundial, em Middlesbrough.
A seleção brasileira feminina de futebol obteve a segunda vitória consecutiva em solo europeu, nesta terça-feira, ao derrotar a Polônia, por 3 a 1, na Suzuki Arena, em Kielce (POL). No sábado, o time da técnica Pia Sundhage havia derrotado, por 2 a 1, a Inglaterra, quarta colocada no último Mundial, em Middlesbrough.
Antes destes dois amistosos na Europa, Pia estreou no cargo com uma goleada por 5 a 0 sobre a Argentina e depois empatou sem gols com o Chile, em dois confrontos válidos por um torneio amistoso ocorrido em agosto no estádio do Pacaembu, em São Paulo.
Com a experiência de quem comandou a seleção dos Estados Unidos nas campanhas de dois ouros olímpicos, obtidos em Pequim-2008 e Londres-2012, além de ter faturado uma prata à frente da Suécia nos Jogos do Rio-2016, Pia vem conseguindo dar ao Brasil o padrão tático que tanto faltava ao time enquanto esteve sendo dirigido pelo técnico Vadão.
Como treinadora dos EUA, Pia também foi vice-campeã mundial, em 2011, e agora é tida como peça fundamental para o sucesso do Brasil neste novo ciclo iniciado após a saída de Vadão. A principal meta desta jornada será a conquista do inédito ouro olímpico do futebol feminino do Brasil nos Jogos de Tóquio-2020.
Como se esperava, as polonesas adotaram os contra-ataques, mas foram surpreendidas logo aos seis minutos, quando Marta bateu escanteio pela direita e Formiga, livre, cabeceou para abrir o placar.
Com a vantagem brasileira, o jogo mudou de panorama. O Brasil apresentou bom toque de bola no campo ofensivo, enquanto a Polônia foi rápida na armação das jogadas e levou perigo, principalmente com a centroavante Ewa Pajor, ao gol de Bárbara, a melhor jogadora em campo.
Aos 25 minutos, a goleira brasileira demonstrou grande elasticidade, ao espalmar um bonito chute de fora da área de Patricia Balcerzak. Dominika Grabowska e Ewelina Kamczyk também foram impedidas de empatarem a partida por causa das intervenções de Bárbara.
Pia fez três alterações na equipe durante o intervalo: entraram Kathellen, Debinha e Luana nos lugares de Poliana, Thaísa e Victoria. O Brasil voltou mais agressivo e não demorou para fazer o segundo gol. Após duas chances relâmpagos, Debinha fez boa jogada pela direita e cruzou. A bola passou por toda a área e Tamires bateu firme: 2 a 0, aos três minutos.
A Polônia não se entregou e conseguiu diminuir o placar, aos 12, com Malgorzata Mesjasz, de cabeça, após cobrança de falta. Detalhe: a jogadora estava impedida, mas o jogo não contou com a intervenção do VAR.
O Brasil não se intimidou e seguiu com o domínio do jogo. Destaque para o setor de meio de campo. A rapidez de Ludmila e a velocidade de Formiga. A veterana volante até arriscou uma bomba de fora da área e uma bela cabeçada.
Mas o terceiro gol brasileiro saiu com a artilheira Debinha, após bela jogada de Ludmila pela direita. A auxiliar de arbitragem, chegou a dar saída de bola, mas a árbitra checa Olga Zadinova validou o lance. O terceiro gol desmontou as polonesas e o Brasil poderia ter obtido um placar ainda mais elevado.
 
Estadão Conteúdo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia