Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 14 de agosto de 2019.
Dia do Controle de Poluição Industrial.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Copa do Brasil

14/08/2019 - 23h30min. Alterada em 14/08 às 23h52min

Grêmio vence o Athletico-PR por 2 a 0 e fica muito perto da final

André (com Alisson sobre as costas) comemora ao abrir o placar da partida

André (com Alisson sobre as costas) comemora ao abrir o placar da partida


LUCAS UEBEL/GRÊMIO FBPA/JC
Deivison Ávila
Mais de 43 mil pessoas viram o Grêmio se aproximar, e muito, de sua nona final de Copa do Brasil e seguir em busca da sexta taça. Com um gol em cada etapa, o Tricolor fez 2 a 0 sobre o Athletico-PR, nesta quarta-feira (14), na Arena, e construiu uma bela vantagem para o jogo de volta, dia 4 de setembro, em Curitiba. E o placar só não foi maior porque a equipe gaúcha perdeu boas chances de ampliar nos minutos finais.
Mais de 43 mil pessoas viram o Grêmio se aproximar, e muito, de sua nona final de Copa do Brasil e seguir em busca da sexta taça. Com um gol em cada etapa, o Tricolor fez 2 a 0 sobre o Athletico-PR, nesta quarta-feira (14), na Arena, e construiu uma bela vantagem para o jogo de volta, dia 4 de setembro, em Curitiba. E o placar só não foi maior porque a equipe gaúcha perdeu boas chances de ampliar nos minutos finais.
Como era esperado, o Grêmio partiu para cima do Furacão desde o início do jogo. Com as linhas avançadas e mais posse de bola, os donos da casa empurraram os paranaenses para o seu campo. Era nítido que o Athletico tinha como estratégia segurar o ímpeto do adversário, apoiado pela torcida.
Por 24 minutos, o time de Tiago Nunes parecia conseguir isso, mas, depois de uma bela troca de passes, Jean Pyerre encontrou Everton na ponta esquerda. O camisa 11 fez um cruzamento no capricho, na cabeça do contestado André, que desviou com leveza para abrir o marcador.
Assustado, o Athletico demorou alguns minutos para se recuperar do gol sofrido. Entretanto, o Tricolor demonstrou um nervosismo inexplicável para um time que estava ganhando e jogando melhor - prova disso foram os cartões levados por Kannemann e Everton. No caso do atacante, foi o terceiro, o que o deixa fora do jogo de volta. Aos 41, o Furacão quase chegou à igualdade. Marcelo Cirino fez ótima tabela com Marco Ruben e ficou na cara de Paulo Victor. O camisa 10 finalizou forte, a bola subiu, e ainda tocou na trave, assustando o torcedor.
Os times retornaram iguais para o segundo tempo, mas o Athletico voltou com outro comportamento. Com boa troca de passes, os paranaenses ficaram mais tempo no campo gremista, mas sem nenhum lance efetivamente agudo. O Tricolor passou a correr atrás do adversário. Conservador, o time de Renato Portaluppi passou a investir nos contra-ataques.
E se com a bola rolando, o Grêmio não conseguia se aproximar, foi na bola parada que aumentou a vantagem. Aos 27 minutos, Jean Pyerre cobrou falta da intermediária, a bola quicou e entrou no cantinho esquerdo de Santos. Dois minutos depois, Alisson, em jogada individual, fez tudo certo, entrou na área a dribles, mas chutou para fora. Nos minutos finais, Tardelli desperdiçou outra chance de liquidar o Furacão.
Grêmio 2x0 Athletico-PR
Paulo Victor; Leonardo Gomes, Geromel, Kannemann e Cortez; Matheus Henrique, Maicon (Luan), Jean Pyerre (Thaciano), Alisson e Everton; André (Diego Tardelli). Técnico: Renato Portaluppi.
Santos; Jonathan, Lucas Halter, Léo Pereira e Márcio Azevedo; Wellington Martins, Lucho González (Bruno Nazário) e Bruno Guimarães; Marcelo Cirino (Vitinho), Rony e Marco Ruben (Nikão). Técnico: Tiago Nunes.
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia