Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 18 de julho de 2019.

Jornal do Comércio

Esportes

CORRIGIR

Copa do Brasil

18/07/2019 - 00h11min. Alterada em 18/07 às 00h51min

Inter bate o Palmeiras no tempo normal e nos pênaltis e vai às semifinais da Copa do Brasil

Patrick marcou o gol no tempo normal e perdeu nos pênaltis

Patrick marcou o gol no tempo normal e perdeu nos pênaltis


RICARDO DUARTE/DIVULGAÇÃO/INTER/JC
Basta pisar no gramado do Beira-Rio que o Inter se transforma. Aquele time amarrado e sem ambições que se vê longe de Porto Alegre, dá lugar para uma equipe elétrica, com ímpeto e que busca constantemente o gol. Foi assim durante todo o jogo de ontem. E foi assim que o time de Odair Hellmann fez por merecer a classificação às semifinais da Copa do Brasil ao vencer o Palmeiras por 1 a 0 no tempo normal e por 5 a 4 nas penalidades no segundo jogo das quartas de final. Agora, o Colorado encara o Cruzeiro por uma vaga na grande final do torneio.
Basta pisar no gramado do Beira-Rio que o Inter se transforma. Aquele time amarrado e sem ambições que se vê longe de Porto Alegre, dá lugar para uma equipe elétrica, com ímpeto e que busca constantemente o gol. Foi assim durante todo o jogo de ontem. E foi assim que o time de Odair Hellmann fez por merecer a classificação às semifinais da Copa do Brasil ao vencer o Palmeiras por 1 a 0 no tempo normal e por 5 a 4 nas penalidades no segundo jogo das quartas de final. Agora, o Colorado encara o Cruzeiro por uma vaga na grande final do torneio.
A simples presença de D’Alessandro muda a forma como o time de Odair Hellmann joga. O camisa 10 faz a bola andar e dá sequência às jogadas de ataque, dando mais dinâmica às ações ofensivas coloradas. Logo aos 10 minutos, Rodrigo Moledo completou de cabeça cobrança de falta cobrada por D’Ale pela esquerda. O goleiro Weverton fez boa intervenção.
O Palmeiras veio para o Rio Grande do Sul confiando em sua força defensiva e especulando um que outro contra-ataque por meio, principalmente, de Dudu. Mesmo sendo empurrado para o seu campo defensivo pelo Inter, o Verdão não parecia se assustar com o volume de jogo vermelho e mantinha a mesma tranquilidade que costumeiramente apresenta.
Aos 26, Guerrero voltou a testar o goleiro paulista, após receber passe de Edenílson, entortar o defensor, e chutar cruzado pela esquerda da área. Acelerando todas as jogadas, os donos da casa mostrava para os 42,3 mil torcedores que foram ao Beira-Rio que vontade não iria faltar por parte dos jogadores.
A “fome” colorada deu resultado aos 40 minutos. Após bate e rebate na frente da área palmeirense, a bola sobrou para Patrick. O meio-campista chutou prensado com o zagueiro Luan, a bola subiu e encobriu o goleiro adversário, indo morrer no fundo do gol.
O panorama do confronto se manteve na segunda etapa. Um Inter buscando o segundo gol para matar o jogo no tempo normal e um Palmeiras reativo, jogando na espera e especulando uma que outra jogada de ataque.
As principais emoções do segundo tempo se viram nos últimos minutos de jogo. Aos 35, Felipe Melo entrou na área do Inter e caiu após aproximação de Edenílson. O árbitro marcou pênalti. Após consultar o VAR, Rafael Traci desfez a marcação, apontando simulação do jogador paulista.
O Inter se lançou ainda mais ao ataque com a saída de Uendel para a entrada de Wellington Silva aos 42 minutos. O desejo pelo resultado buscado desde o primeiro minuto premiou os gaúchos aos 47 minutos. Após cobrança de escanteio de D’Alessandro pela direita, Cuesta subiu nas costas de Felipe Melo e deslocou para o gol. O VAR, porém, foi acionado mais uma vez e o árbitro anulou o gol, marcando empurrão de Rodrigo Moledo sobre o volante palmeirense. Em meio à reclamação, D’Ale recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. Assim, a vaga às semifinais foi para a decisão nos pênaltis.
O Inter saiu na frente com Guerrero, mas Bruno Henrique empatou. Sobis fez o segundo colorado, e Marcelo Lomba defendeu com o pé a cobrança de Gustavo Gómez. Edenilson e Lindoso fizeram para os gaúchos, enquanto Diogo Barbosa e Luan marcaram para o Verdão. Na cobrança decisiva, Weverton defendeu chute de Patrick. Na sequência, Willian empatou para os visitantes. Nas alternadas, Nonato fez para o Inter, e Moisés acertou o travessão de Lomba, decretando a vitória gaúcha por 5 a 4 e a merecida classificação para as semifinais da Copa do Brasil.
Inter 1 (5) x (4) 0 Palmeiras
Marcelo Lomba; Bruno (Nonato), Moledo, Cuesta e Uendel (Wellington Silva); Lindoso, Edenílson, Patrick, D’Alessandro e Nico López (Sobis); Guerrero. Técnico: Odair Hellmann.
Weverton; Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique, Dudu e Lucas Lima (Moisés); Zé Rafael (Willian) e Deyverson (Carlos Eduardo). Técnico: Luiz Felipe Scolari.
Árbitro: Rafael Traci (SC)
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia