Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 04 de julho de 2019.
Dia do Operador de Telemarketing. Feriado nos EUA - Dia da Independência.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Copa América

Alterada em 04/07 às 14h06min

Classificados para reencontro, peruanos destacam melhora desde goleada para o Brasil

Brasil e Peru disputam a final da Copa América neste domingo no Maracanã

Brasil e Peru disputam a final da Copa América neste domingo no Maracanã


RAUL ARBOLEDA/AFP/JC
Folhapress
Definido como adversário do Brasil na final da Copa América ao bater o Chile na quarta-feira (3), o Peru acredita ter melhorado bastante desde o encontro com os brasileiros pela fase de grupos, quando perdeu por 5 a 0. O reencontro será no domingo (7), no Maracanã.
Definido como adversário do Brasil na final da Copa América ao bater o Chile na quarta-feira (3), o Peru acredita ter melhorado bastante desde o encontro com os brasileiros pela fase de grupos, quando perdeu por 5 a 0. O reencontro será no domingo (7), no Maracanã.
A goleada sofrida para Brasil serviu para unir ainda mais o time peruano, afirmam os jogadores. Ao ouvir críticas de boa parte da imprensa local, os atletas decidiram silenciar por algum tempo e fortalecer os elos internos.
"Vocês (jornalistas) sempre encontram alguma coisa ruim para falar nas partidas. Nós temos é que aproveitar a classificação e seguir pensando apenas dentro de campo", disse o meia-atacante Flores.
"Todos ficamos muito tristes depois da derrota para o Brasil. Mas aprendemos, ganhamos forças e agora estamos prontos para fazer o melhor", completou o lateral-esquerdo Trauco.
A fortaleza mental é que pesou na classificação contra o Uruguai, nos pênaltis, e no começo muito intenso de jogo contra o Chile.
A vitória peruana contra os chilenos foi construída no primeiro tempo. Ainda assim, a equipe seguiu mostrando maturidade para trocar passes enquanto os torcedores gritavam "olé" e fechar o placar com um golaço de Paolo Guerrero.
Após a partida, muitos personagens do jogo se negaram a dar entrevistas. Casos do goleiro Gallese, que inclusive pegou um pênalti, do lateral Advíncula, e dos meias Yotún e Cueva.
Taticamente, Ricardo Gareca não mudou nada em sua equipe. Segue atuando com quatro defensores em linha, quatro meio-campistas logo à frente, um jogador mais solto, e Paolo Guerrero no comando de ataque. Mas a lesão de Farfán, que jogou pela última vez contra o Brasil, mudou a característica do time.
Cueva passou a ser o homem mais próximo de Guerrero, posto antes de Farfán. Flores e Carrillo agora atuam pelos lados.
Com isso, a equipe ganhou intensidade, velocidade na troca de passes e ultrapassagem, dando a Guerrero, que trabalha segurando a bola e esperando a aproximação de colegas, mais alternativas de sequência de jogada.
Ainda que tenha essência ofensiva, o Peru não tem vergonha nenhuma de se retrancar. Em alguns momentos do confronto com o Chile, chegou a montar uma linha de cinco defensores, com mais quatro à frente e apenas Guerrero adiantado. Dependendo do que a partida apresentar, poderá fazer isso contra o Brasil.
"Estou feliz pela classificação, agora será um jogo difícil. Vamos descansar e analisar bem o jogo de domingo. É um grande adversário, será muito difícil, mas vamos lutar", disse Guerrero.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia