Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 09 de junho de 2019.
Dia do Porteiro. Dia do Tenista.

Jornal do Comércio

Esportes

CORRIGIR

Seleção Brasileira

09/06/2019 - 18h34min. Alterada em 09/06 às 19h40min

Brasil goleia Honduras em um Beira-Rio quase vazio

Goleada por 7 a 0 marcou o fim da preparação para a Copa América

Goleada por 7 a 0 marcou o fim da preparação para a Copa América


JEFERSON GUAREZE/AFP/JC
Deivison Ávila
Um Beira-Rio muitas vezes silencioso presenciou um passeio brasileiro diante do modesto e limitado elenco hondurenho. Exatas 16,521 torcedores viram uma partida que beirou um treino e um Brasil com sede de gol. Moral da história: 7 a 0 no último amistoso antes da disputa da Copa América. Além dos gols e dos jogadores que passaram pela dupla Grenal, o mascote da seleção, o Canarinho, provocou os poucos momentos em que se ouvia barulho da torcida no estádio.
A seleção não quis nem saber da fragilidade do adversário e partiu para cima desde o primeiro minuto. Com enorme facilidade, os comandados de Tite abriram o marcador logo aos sete minutos. Após ótima tabela entre Richarlison e Daniel Alves, o lateral-direito cruzou na medida para Gabriel Jesus. O atacante do Manchester City cabeceou para os fundo das redes. No entanto, o assistente marcou equivocadamente impedimento de Richarlison no início da jogada. Hora do árbitro de vídeo entrar em campo, corrigir a falha e conformar o gol.
E não demorou para sair o segundo. Aos 12, Coutinho cobrou escanteio com qualidade e Thiago Silva surgiu na primeira trave para desviar para as redes. Seis minutos depois, Richarlison deixou Coutinho na cara do goleiro Luis López, mas o camisa 11 bateu para fora. A primeira chegada perigosa de Honduras foi aos 21, quando Elis avançou pela esquerda e cruzou rasteiro, mas Filipe Luis, bem posicionado, cortou.
Se onze contra onze o amistoso já estava bem desequilibrado, aos 29, Quioto deu um carrinho desmedido em Arthur e, com o auxílio do VAR, acabou expulso. Arthur saiu na maca e desceu mancando para o vestiário. Allan entrou no lugar do volante ex-Grêmio. Seis minutos depois, Allan acionou Richarlison na área, que foi derrubado por Izaguirre. Na cobrança do pênalti, Coutinho marcou o terceiro.
E o Brasil não tirou o pé. Aos 39, o mesmo Coutinho roubou no meio, avançou, e chutou forte. A bola explodiu no poste direito. Dois minutos depois, foi a vez da trave esquerda ser batizada pelo jogador do Barcelona. O apito final soou como um alívio para Honduras.
O segundo tempo seguiu na mesma toada. O time de Tite voltou com o mesmo ímpeto e logo no primeiro minuto, Fernandinho lançou Richarlison, que ajeitou de cabeça para Gabriel Jesus marcar o segundo dele - o quarto da seleção. Em seguida, em ritmo de pelada, Fernandinho acionou David Neres, que deixou a marcação para trás e tocou na saída do goleiro: 5 a 0.
Com muito toque de bola e uma superioridade técnica imensurável, a seleção chegou ao sexto, aos 19, com Firmino. Após bate-rebate, ele chutou para as redes. Cinco minutos depois, Everton fez boa jogada pela esquerda e rolou para Richarlison fazer o sétimo. A equipe ainda desperdiçou algumas oportunidades, mas acabou aliviando o ritmo nos minutos finais. Agora, o Brasil encara a Bolívia, sexta-feira, no Morumbi, na estreia da Copa América.
arte/JC
CORRIGIR