Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 12 de maio de 2019.
Dia da Enfermagem. Dia das Mães.

Jornal do Comércio

Esportes

CORRIGIR

Campeonato Brasileiro

Edição impressa de 13/05/2019. Alterada em 12/05 às 18h38min

Em jogo de iguais, Inter bate o Cruzeiro

Nonato anotou o primeiro gol do Inter contra o Cruzeiro

Nonato anotou o primeiro gol do Inter contra o Cruzeiro


RICARDO DUARTE/INTER/DIVULGAÇÃO/JC
Deivison Ávila
Um clássico do futebol nacional que já decidiu campeão. Assim, Inter e Cruzeiro entraram em campo na tarde deste domingo (12). E o time de Odair Hellmann deu um belo presente para as mães coloradas. Após um primeiro tempo equilibrado, o time voltou com outra postura no segundo tempo e venceu a Raposa por 3 a 1, no Beira-Rio.
O jogo começou com os visitantes assustando. Logo no primeiro minuto, Fred recebeu na ponta-direita e tocou para trás, Thiago Neves não pegou bem, mas a bola passou tirando tinta da trave. A segunda chegada também foi mineira. Pedro Rocha cruzou da esquerda e Jadson bateu rasteiro, assustando Lomba.
O Inter até tentava criar, mas não conseguia se aproximar da área visitante. E, se a chegada não vinha na base do passe, foi na bola parada que o Colorado abriu o marcador. Aos 31, Guerrero cobrou falta, a bola tocou na barreira e bateu na trave. No rebote, o jovem Nonato cabeceou para o fundo das redes, anotando seu primeiro gol como profissional.
Só que, em jogo de iguais, qualquer falha é fatal. Quatro minutos depois, também na bola parada, Thiago Neves cobrou falta, Fred atrapalhou a marcação de Moledo, e a bola sobrou para Dedé, sozinho, empatar o duelo.
Na etapa final, Odair Hellmann centralizou D’Alessandro entre os volantes do Cruzeiro, abrindo mais os pontas. Com isso, o Colorado passou a criar mais e, aos dez minutos, em um lance de muita insistência, o Inter voltou à frente do placar. Na primeira tentativa, Nico chutou e Fábio defendeu. No rebote, Dedé salvou finalização de Guerrero. Na sequência, D'Ale chutou e foi a vez de Dodô salvar. Na quarta, Guerrero conseguiu mandar para as redes.
Aos 15, Nico surgiu por trás da defesa e tocou por cobertura, mas a trave salvou os mineiros. Cinco minutos depois, Nonato foi derrubado dentro da área por Dodô. Pênalti para o Inter. D’Ale bateu para fora. Mas a penalidade desperdiçada foi compensada aos 37. Sobis bateu falta forte, com efeito, e a bola explodiu no travessão. No rebote, Moledo cabeceou para marcar o terceiro e dar números finais à partida. Nos acréscimos, Edilson atingiu Nico com uma cotovelada e foi expulso. Após o apito, ainda houve tempo para uma grande confusão na saída de campo.
Internacional 3 x 1 Cruzeiro
Marcelo Lomba; Zeca, Rodrigo Moledo, Víctor Cuesta e Iago; Rodrigo Lindoso, Edenilson, Nonato (Guilherme Parede), D'Alessandro (Rafael Sobis) e Nico López; Paolo Guerrero (Sarrafiore). Técnico: Odair Hellmann.
Fábio; Edilson, Léo, Dedé e Dodô; Lucas Silva, Lucas Romero e Thiago Neves, Jadson (David) e Pedro Rocha (Rodriguinho); Fred (Sassá). Técnica: Mano Menezes.
Árbitro: Rafael Claus.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia